ISTOÉ Gente

Ex-bailarina do Faustão sobre racismo em loja: ‘Me senti coagida’

Ex-bailarina do Faustão sobre racismo em loja: ‘Me senti coagida’

Ex-bailarina do Faustão sobre racismo em loja: 'Me senti coagida'


A ex-bailarina do Faustão Carol Tozaki denunciou ter sofrido racismo na loja Animale do Shopping Iguatemi, em São Paulo.

+ Zilu Camargo posa de lingerie sexy e diz: ‘Deixa que digam, que pensem, que falem’
+ Vídeo: 5 vezes em que consumidores tiveram ‘dia de fúria’ e quebraram tudo
+ Jovem perde todos os dentes e diz: “As dentaduras não me definem”
+ Nova lei entra em vigor e tem alterações para motoristas de transportes

“Podemos estar vestidos do jeito que for, seja usando bolsa cara, relógio caro, mas não me trata direito pela cor da minha pele e pelo meu cabelo afro”, disse, nos stories. “Muita gente vai achar que é mimimi. Eu só vim comprar uma jaqueta de couro e sabia que eu encontraria aqui”, emendou.

Mas, segundo o relato, ela foi desprezada pelas vendedoras. “Elas não queriam me atender, na cabeça delas eu não iria comprar”, analisou. “Isso dói muito. Me sinto mais em casa em outros países do que no Brasil, é tudo muito preconceituoso. Já quero voltar para Londres, não quero mais ficar aqui”, completou.

Ao portal Uol, a marca se pronunciou. “O relato da cliente fará parte de sua contínua revisão das ações de diversidade e inclusão que são implementadas tanto no time dessa loja, quanto em todo o time espalhado pelo país”, disse a loja. “Reafirmamos que a construção de uma sociedade verdadeiramente inclusiva e igualitária é e sempre será uma responsabilidade da empresa”, completou.