Esportes

Ex-advogado do Grêmio defende Cuca em acusação de assédio: ‘Não manteve relação com a menina’

Cacalo recordou julgamento que envolveu treinador e outros três ex-Tricolor em 1987: 'Não seria capaz de defender uma pessoa tantos anos depois que tivesse cometido um estupro'

Ex-advogado do Grêmio defende Cuca em acusação de assédio: ‘Não manteve relação com a menina’

Cuca atou por mais de quatro temporadas e marcou gols decisivos (Foto: Reprodução)


Após a acusação de estupro contra o treinador Cuca ser relembrada pela torcida do Atlético Mineiro, o ex-advogado do Grêmio na época do ocorrido falou sobre o polêmico caso de 1987, que mobilizou os torcedores na década de 80. Então jogador do Imortal, Cuca não participou e não tem qualquer culpa, segundo o advogado.

+ Veja quando seu time entra em campo pelo estadual!

O caso policial foi em 1987, em Berna, na Suíça, quando ele estava no Grêmio. Naquele ano, uma garota de 13 anos acusou de estupro coletivo Alexi Stival (Cuca) e outros três jogadores do time gaúcho: Eduardo Hamester, Fernando Castoldi e Henrique Etges. Para Luiz Carlos Pereira Silveira Martins, o Cacalo, que foi responsável por defender os quatro atletas do Tricolor envolvidos na acusação de assédio sexual, o treinador não se relacionou com a jovem.

– Especialmente sobre o Cuca, que o assunto voltou agora, ele não cometeu nenhum ato de estupro e não manteve relação com a menina. Sempre manteve uma postura absolutamente correta. Eu não seria capaz de defender uma pessoa tantos anos depois que tivesse cometido um estupro. Absolutamente isso não aconteceu – disse Cacalo ao Uol.

Ele admitiu que um dos atletas se relacionou com a jovem, porém, preferiu não revelar o nome do jogador. Além disso, Cacalo ressaltou que o gremista que esteve com a adolescente manteve uma ação consensual com ela, o que foi trabalhado ao longo do processo judicial.


+ Homem que vivia ‘casado’ com a própria filha é preso após polícia investigar agressão contra criança
+ Família de Schumacher coloca mansão à venda por R$ 400 milhões
+ Pão de Queijo: faça uma das receitas mais gostosas do Brasil



A acusação se transformou em condenação em 1989, mas não por terem supostamente estuprado a jovem e, sim, porque ela tinha apenas 13 anos, sendo uma violência sexual contra pessoa vulnerável no país. Cuca e os demais jogadores do Grêmio foram condenados a 15 meses de prisão, porém, ele nunca cumpriu a pena, pois o Brasil não extradita seus cidadãos.

CUCA SE DEFENDEU E AFIRMOU “NÃO TER CULPA DE NADA”

-Venho neste momento falar de uma coisa que me incomoda muito, porque há 34 anos houve um episódio comigo. Essas coisas aconteceram há 34 anos e hoje elas estão vindo como se tivessem acontecido hoje e eu fosse condenado e culpado. Para resumir: eu não tenho culpa nenhuma de nada, nunca levantei um dedo indevidamente ou inadequadamente para alguma mulher – disse, em entrevista ao Uol.

Grupos de torcedores, incluindo várias torcedoras do Atlético-MG, se manifestaram contra a vinda de Cuca para o Galo. A hashtag “Cuca Não” esteve entre os assuntos mais comentados do Brasil no Twitter.

Veja também

+ Receita de bolinho de costela com cachaça
+ Cientistas descobrem nova camada no interior da Terra
+ Receita de panqueca americana com chocolate
+ Receita rápida de panqueca de doce de leite
+ Contran prorroga prazo para renovação da CNH
+ Receita de moqueca de peixe simples e deliciosa
+ 5 benefícios do jejum intermitente além de emagrecer
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Sucuris gigantes são flagradas em expedições de fotógrafos no MS