Mundo

Evo Morales garante que Unasul ‘está em crise’

Evo Morales garante que Unasul ‘está em crise’

Presidente boliviano Evo Morales fala durante uma coletiva de imprensa em Havana, no dia 23 de abril de 2018 - AFP

A União das Nações Sul-Americanas (Unasul) está em crise, afirmou nesta quinta-feira (12) o presidente da Bolívia, Evo Morales, que exerce a Presidência rotativa do bloco, do qual seis países suspenderam sua participação em abril passado.

“Lamento muito dizê-lo que Unasul está em uma crise”, afirmou o governante boliviano em uma declaração à imprensa em La Paz, após um encontro com o presidente eleito do Paraguai, Mario Abdo.

A Bolívia estabeleceu a meta de destravar seu funcionamento da união durante seu mandato.

Brasil, Argentina, Colômbia, Chile, Peru e Paraguai decidiram em abril passado suspender sua participação na Unasul, até que se nomeie um novo secretário-geral para substituir o colombiano Ernesto Samper, que renunciou ao cargo em janeiro de 2017.

Fontes diplomáticas disseram anteriormente que a Venezuela, com apoio da Bolívia e do Suriname, vetou a candidatura do argentino José Octavio Bordón (atual embaixador em Santiago), enquanto o chanceler boliviano, Fernando Huanacuni, responsabilizou a Argentina, que lhe antecedeu, de deixar “assuntos pendentes”.

“Pessoalmente, invejo a integração de alguns continentes como Europa, África e Ásia, e temos que ter a capacidade de avançar nesses sistemas de integração”, destacou Morales.

Com sede em Quito e criada sob impulso do falecido ex-presidente venezuelano Hugo Chávez, a Unasul abrange 14 nações, das quais seis, as maiores economias da região, suspenderam sua participação.