Comportamento

EUA vão limitar vistos para gestantes a fim de frear ‘turismo de maternidade’

EUA vão limitar vistos para gestantes a fim de frear ‘turismo de maternidade’

O presidente americano, Donald Trump - AFP

O governo de Donald Trump vai limitar os vistos temporários concedidos a gestantes suspeitas de quererem ir aos Estados Unidos para que o filho se beneficie automaticamente da nacionalidade americana devido ao local de nascimento.

“A partir de 24 de janeiro de 2020, o Departamento de Estado não vai mais emitir vistos temporários para estrangeiros que queiram entrar nos Estados Unidos para fazer ‘turismo de maternidade'”, a fim de aproveitar a lei do solo americano, anunciou nesta quinta-feira a Casa Branca em um comunicado.

As novas regras se dirigem às mulheres que “viajam aos Estados Unidos para que, ao dar à luz em solo americano, seu filho obtenha automaticamente e permanentemente a nacionalidade americana”, disse.

“Essa mudança regulamentar é necessária para reforçar a segurança”, e a “integridade da cidadania americana”, disse em um comunicado.

Qualificando a prática como uma “evidente lacuna migratória”, a administração assegura que a “indústria do turismo de maternidade” ameaça ser uma “sobrecarrega” para os hospitais do país e uma ameaça à segurança país.

A Constituição de Estados Unidos garante a cidadania automática a qualquer pessoa nascida em território americano.

Trump transformou a restrição à imigração uma prioridade de seu governo e ameaçou, no passado, abolir a cidadania por direito de nascimento.