Tecnologia & Meio ambiente

EUA tem quase 300 mil mortes a mais do que o habitual desde a pandemia

EUA tem quase 300 mil mortes a mais do que o habitual desde a pandemia

A pandemia do novo coronavírus causou a maior parte das mortes excedentes nos Estados Unidos em 2020, segundo os Centros para a Prevenção e o Controle de Doenças - AFP/Arquivos

Os Estados Unidos registraram cerca de 300.000 mortes a mais do que o habitual desde o fim de janeiro, com pelo menos dois terços dos óbitos atribuíveis à covid-19, indicou um estudo do governo divulgado nesta terça-feira (20).

O informe dos Centros para a Prevenção e o Controle de Doenças (CDC, na sigla em inglês) estima que ocorreram 299.028 “mortes em excesso” desde o fim de janeiro – quando a pandemia começou a ganhar força – até 3 de outubro de 2020, das quais 198.081 (66%) foram causadas pela covid-19.

Como referência, os CDC compararam as amostras semanais de 2020 com a média das mortes semanais de 2015 a 2019.

As mortes em excesso são definidas como o número de pessoas falecidas por todas as causas, excedendo o número de falecimentos previsto para um local e momento determinados.

O estudo advertiu que várias mortes podem ter sido classificadas de forma errada, quando na verdade eram atribuíveis à covid-19, enquanto outras podem ter ocorrido “devido a interrupções no acesso ou no uso do atendimento médico”.

Segundo o informe, em 2020 aumentaram as mortes por doenças circulatórias (incluindo hipertensão, ataques cardíacos e acidentes vasculares cerebrais), por Alzheimer, outros tipo de demência e doenças respiratórias.

Embora o número maior de mortes em excesso (94.646) tenha sido registrado entre pessoas com idades de 75 a 84 anos, o grupo que experimentou um aumento maior em termos relativos foi o de adultos entre os 25 e os 44 anos.

Sua taxa de mortalidade excessiva aumentou 26,5%, enquanto o excesso de mortes entre os menores de 25 anos diminuiu 2%.

Os latinos e os negros foram duramente afetados, com taxa de mortes em excesso de 53,6% e 32,9%, respectivamente. O excedente de mortes entre os asiáticos aumentou 36,6%.

Enquanto isso, os brancos registraram 11,9% a mais de falecimentos em comparação com as cifras médias de 2015-2019.

Até a terça-feira, o número de mortos pelo novo coronavírus nos Estados Unidos era de mais de 220.000, segundo a Universidade Johns Hopkins.

Veja também

+ Cantora MC Venenosa morre aos 32 anos e família pede ajuda para realizar velório
+ Homem salva cachorro da boca de crocodilo na Flórida
+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ MasterChef: Fogaça compara prato com comida de cachorro
+ Cirurgia íntima: quanto custa e como funciona
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel