Os Estados Unidos revelaram, nesta quinta-feira (6), sanções contra a maior organização de tráfico de drogas do Equador, conhecida como Los Lobos, acusada pelos americanos de contribuir “significativamente” para a violência no país sul-americano.

Há muito considerado um refúgio de paz na América Latina, o Equador viu a violência explodir nos últimos anos, à medida que gangues rivais com ligações a cartéis mexicanos e colombianos disputam o controle.

Em maio, o governo equatoriano declarou estado de emergência em quase um terço das províncias após um aumento da violência, permitindo que soldados fossem destacados nas ruas.

“Com milhares de membros, Los Lobos tornou-se a maior organização de tráfico de drogas no Equador e contribui significativamente para a violência que assola o país”, afirmou o Departamento do Tesouro dos EUA em comunicado.

O grupo “esteve envolvido com tráfico de drogas, assassinos de aluguel e mineração ilegal de ouro” e também foi acusado do assassinato em 2023 do candidato presidencial Fernando Villavicencio, acrescentou o Departamento do Tesouro.

Washington também revelou sanções contra o líder de Los Lobos, Wilmer Geovanny Chavarría Barre, conhecido como “Pipo”, que, segundo o governo americano, ganhou notoriedade enquanto liderava um grupo de assassinos de aluguel de outra gangue e continua foragido.

“Como demonstram as ações de hoje, apoiamos fortemente o Equador nos seus esforços para combater o tráfico de drogas e combater a ameaça da violência relacionada ás drogas”, disse Brian Nelson, subsecretário do Tesouro para o Terrorismo e a Inteligência Financeira.

da/mlm/db/nn/jb/aa