Inspetores do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos vão retomar as atividades em empacotadoras de abacates e mangas no estado mexicano de Michoacán (oeste), uma semana depois de elas terem sido suspensas pela insegurança na região, informou o embaixador deste país, Ken Salazar.

“Vão começar a voltar gradualmente às plantas empacotadoras após a recente agressão contra eles”, acrescentou Salazar em nota emitida na sexta-feira.

“No entanto, ainda é preciso avançar para garantir sua segurança antes de alcançar a operacionalidade plena”, acrescentou.

Versões da imprensa mexicana assinalam que os inspetores americanos foram agredidos e retidos momentaneamente na cidade de Aranza, em Michoacán, sem que até agora o governo de Joe Biden tenha dado detalhes do ataque.

Produtores de abacate e outros produtos denunciam que os cartéis das drogas os extorquem e ameaçam de morte, segundo informes da imprensa local.

O México é o maior produtor de abacate do mundo e 73% de fruto vêm de Michoacán, com costa no Pacífico e onde operam diversos grupos do crime organizado.

As exportações do fruto totalizaram 1,4 milhão de toneladas em 2023, um aumento de 15% em relação a 2022, segundo o relatório mais recente do Departamento de Agricultura americano (USDA).

Os Estados Unidos são o maior consumidor do abacate mexicano, seguido de Canadá, Japão e Espanha.

jg/dg/mvv