Mundo

EUA oferecem recompensas de até US$ 10 milhões contra o Hezbollah

EUA oferecem recompensas de até US$ 10 milhões contra o Hezbollah

Os defensores do Hezbollah ouvem um discurso do líder do movimento xiita libanês Hassan Nasrallah em fevereiro de 2019 para marcar o 40º aniversário da Revolução Islâmica do Irã - AFP/Arquivos

O governo dos Estados Unidos prometeu nesta segunda-feira (22) novas recompensas, de até 10 milhões de dólares, por informação para “alterar” as redes financeiras do movimento fundamentalista islâmico libanês Hezbollah.

O Departamento de Estado americano disse que está buscando informação sobre as fontes de renda do grupo, membro da lista negra americana de “organizações terroristas” e aliado do Irã, adversário de Washington no Oriente Médio.

Também quer identificar “seus mecanismos chave de acesso a fundos”, seus “principais doadores”, as “instituições financeiras” que contribuem para suas transações e inclusive as companhias controladas pelo Hezbollah ou seus patrocinadores.

“Hezbollah obtém cerca de um bilhão de dólares por ano através do apoio financeiro direto do Irã, o comércio internacional e de investimentos, uma rede de doadores e atividades de lavagem de dinheiro”, de acordo com o comunicado da diplomacia americana.

Entre os supostos “financiadores” do Hezbollah sobre os quais Washington quer informação, estão Adham Tabaja, Mohammad Ibrahim Bazzi e Ali Youssef Charara, cujos nomes se encontram na lista negra de “terroristas internacionais” dos Estados Unidos.