Mundo

EUA e Canadá exigem da China ‘libertação imediata’ de dois canadenses presos

EUA e Canadá exigem da China ‘libertação imediata’ de dois canadenses presos

Policiais chineses montam guarda em frente à embaixada canadense em Pequim em 10 de dezembro de 2018 - AFP/Arquivos

Washington e Ottawa exigiram nesta sexta-feira (21) que a China liberte dois canadenses detidos em uma aparente retaliação pela prisão no Canadá de uma executiva do grupo chinês Huawei a pedido dos Estados Unidos.

“Expressamos a nossa profunda preocupação pela detenção por parte do governo chinês de dois canadenses no início este mês e exigimos a sua libertação imediata”, disse o porta-voz do Departamento de Estado, Robert Palladino.

“Estamos muito preocupados com a prisão arbitrária por parte das autoridades chinesas de dois canadenses no começo deste mês e pedimos a sua libertação imediata”, assinalou, também, a chanceler canadense, Chrystia Freeland, em um comunicado.

Os canadenses detidos são o ex-diplomata Michael Kovrig e o consultor Michael Spavor.

Palladino acrescentou que o “Canadá, um país onde rege o Estados de direito, realiza um procedimento legal, justo, imparcial e transparente com relação à senhora Meng Wanzhou, diretora financeira da Huawei”.

“O Canadá respeita os seus compromissos legais internacionais ao honrar o tratado de extradição que tem com os Estados Unidos”, acrescentou.