Economia

EUA criam 1,763 milhão de postos de trabalho e taxa de desemprego cai a 10,2%

Os Estados Unidos criaram 1,763 milhão de empregos em julho, mostrando que o mercado de trabalho da maior economia do mundo continua se recuperando do choque da pandemia de coronavírus, segundo dados com ajustes sazonais publicados hoje pelo Departamento do Trabalho. O resultado veio acima da mediana das expectativas de analistas consultados pelo Projeções Broadcast, de criação de 1,5 milhão de postos de trabalho. As estimativas variavam de corte de 280 mil vagas a geração de 3 milhões de empregos.

+ SP deve receber cinco milhões de doses de vacina chinesa em outubro, diz Doria

A taxa de desemprego caiu de 11,1% em junho para 10,2% em julho. Neste caso, a projeção era de queda de 10,5%.

Os números de criação de postos de trabalho de junho e maio foram revisados, para 4,791 milhões e 2,725 milhões, respectivamente.

O salário médio por hora dos trabalhadores aumentou 0,24% em julho ante junho, ou US$ 0,07, para US$ 29,39 por hora. Na comparação anual, houve acréscimo de 4,78%. Analistas esperavam queda mensal de 0,5% e ganho anual de 4,3%.

Apenas o setor privado dos EUA criou 1,462 milhão de empregos em julho, enquanto o governo abril 301 mil vagas.

Já a fatia da população dos EUA que participa da força de trabalho recuou marginalmente na passagem de junho para julho, de 61,5% para 61,4%.

*Com informações da Dow Jones Newswires

Veja também

+Cidadania divulga calendário de pagamentos da extensão do auxílio emergencial

+MasterChef: competidora lava louça durante prova do 12º episódio’

+ Veja mudanças após decisão do STF sobre IPVA

+ 12 razões que podem fazer você menstruar duas vezes no mês

+ Arqueólogo leva 36 anos para montar maquete precisa da Roma Antiga

+ Jovem é suspeita de matar namorado com agulha de narguilé durante briga por pastel

+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago

+ Por que não consigo emagrecer? 7 possíveis razões

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?

+ Educar é mais importante do que colecionar

+ Pragas, pestes, epidemias e pandemias na arte contemporânea