Economia

EUA considera ajuda adicional ‘direcionada’ para responder à pandemia, diz secretário do Tesouro

EUA considera ajuda adicional ‘direcionada’ para responder à pandemia, diz secretário do Tesouro

O secretário do Tesouro, Steven Mnuchin - POOL/AFP/Arquivos

O governo de Donald Trump está considerando fornecer mais ajuda às empresas e aos trabalhadores prejudicados pela pandemia de COVID-19 e pelas restrições para conter o avanço do vírus nos Estados Unidos, disse o secretário do Tesouro, Steven Mnuchin, nesta terça-feira (30).

Mnuchin afirmou que a “enorme quantidade de fundos” já aprovados pelo Congresso está ajudando a sustentar a economia, que deve melhorar na segunda metade do ano.

Mas especificou que qualquer ajuda adicional deve ser “direcionada a certas indústrias que foram especialmente afetadas pela pandemia, com ênfase no emprego”, afirmou o secretário, segundo trechos de seu depoimento em uma audiência no Comitê de Serviços Financeiros da Câmara Baixa do Congresso.

O chefe do Tesouro planeja se reunir com o presidente da Reserva Federal, Jerome Powell, para discutir o grande programa de ajuda financeira para a crise aprovado no final de março.

Em seu depoimento, Powell destacou que conter o vírus e restaurar a confiança são as chaves para a recuperação da economia, juntamente com a implementação de políticas em todos os níveis do governo para “aliviar e sustentar a economia enquanto for necessário”.

Mnuchin acrescentou que vai iniciar negociações para um plano adicional de ajuda.

“Esperamos ansiosamente trabalhar com o Congresso de forma bipartidária em julho para qualquer outra legislação necessária”, disse.

Mnuchin destacou que os dados mostram que esse auxílio incentivou a recuperação e que 2,5 milhões de empregos foram criados em maio.

“Embora a taxa de desemprego permaneça em um nível historicamente alto, estamos vendo indícios adicionais de que as condições vão melhorar significativamente no terceiro ou quarto trimestre deste ano”, acrescentou.

O Congresso adotou no final de março um grande plano de ajuda emergencial de mais de US$ 2 trilhões, chamado CARES Act, destinado a diminuir o impacto da crise sobre as empresas e os trabalhadores americanos mais vulneráveis.

A Câmara de Representantes adotou em maio um gigantesco plano de ajuda por US$ 3 trilhões, mas os republicanos do Senado estão pedindo mudanças antes de revisá-lo.

Veja também

+ Entenda como a fase crítica da pandemia de Covid-19 pode ter sido superada em SP
+ Ford Ranger supera concorrentes e é líder de vendas
+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Cantora Patricia Marx se assume lésbica aos 46 anos de idade
+ Saiba em quais lugares o contágio pelo novo coronavírus pode ser maior