Mundo

Estudantes queimam fantoches de Salvini e Di Maio na Itália

TURIM, 12 OUT (ANSA) – Milhares de estudantes saíram às ruas de cerca de 50 cidades da Itália para protestar contra as medidas do governo de coalizão entre o antissistema Movimento 5 Estrelas (M5S) e a ultranacionalista Liga.   

Na manifestação de Turim, no noroeste do país, os jovens queimaram fantoches que representavam os vice-primeiros-ministros Luigi Di Maio (M5S) e Matteo Salvini, líderes “de facto” do governo.   

Os estudantes criticavam sobretudo a proposta de lei orçamentária para 2019, que prevê um aumento do déficit fiscal para financiar políticas sociais e redução de impostos, mas não inclui medidas para a educação.   

“Isso não é mudança. O aumento do déficit será utilizado para perdoar evasores fiscais e para cortar impostos dos mais ricos”, afirmou Giacomo Cossu, um dos organizadores da mobilização.   

Ele fazia referência a duas bandeiras de Salvini: o perdão a contribuintes em dívida com o Fisco e a redução do número de alíquotas do imposto de renda.   

“Esses estudantes ‘democratas’, mimados por centros sociais e professores, precisam de muitas horas de educação cívica. Talvez entendessem que queimar fantoches de Salvini ou de qualquer outro é uma coisa nojenta”, disse o líder da Liga no Twitter.   

Já Di Maio elogiou a manifestação e convidou os jovens para discutir o financiamento da educação. “As portas estão abertas, vamos construir juntos uma nova escola, mas não é verdade que cortamos recursos de escolas e universidades”, contemporizou.   

(ANSA)