Esportes

‘Estou frustrado, mas não bravo’, diz Albon após acidente com Hamilton no final

Alexander Albon, da Red Bull, foi do céu ao inferno neste domingo. O piloto tailandês estava sonhando com o primeiro pódio da carreira, no GP do Brasil de Fórmula 1, em Interlagos, mas viu o hexacampeão Lewis Hamilton atrapalhar os seus planos na penúltima volta. Apesar disso, ele afirma não estar bravo, apenas frustrado com o resultado.

A apenas duas voltas para encerrar a corrida, o inglês bateu no adversário enquanto tentava a ultrapassagem. O acidente encerrou as chances de Albon garantir o pódio e o piloto terminou o GP na 14.ª colocação. Já Hamilton recebeu a punição de cinco segundos extras no tempo, perdeu o terceiro lugar que havia conquistado e caiu para sétimo.

“É claro que estou frustrado, mas não estou bravo, apenas chateado. Eu queria aquele pódio e nós o merecemos por mérito. No reinício do safety car, nos divertimos e eu gostei de lutar com as Ferraris, a ultrapassagem foi boa”, disse Albon durante coletiva de imprensa.

“Eu tinha um bom espaço e não estava preocupado com ele. Fui até o canto só para cobri-lo, para que ele não tivesse nenhuma ideia. Depois houve um ponto cego e, obviamente, tivemos a batida”, explicou o tailandês, que viu Max Verstappen subir ao lugar mais alto do pódio.

Hamilton chegou a se desculpar como o piloto da Red Bull e aceitar a punição aplicada pelos comissários. “É claro que ele não fez isso de propósito, é apenas uma dessas coisas e hoje (domingo) não era para ser. Está feito agora e vamos nos concentrar nos aspectos positivos antes da próxima corrida”, disse Albon. “Parabéns também para o Verstappen, ele dirigiu muito bem e mereceu a vitória”, acrescentou.

Quem também comentou sobre o assunto foi Christian Horner, chefe de equipe da Red Bull. “Infelizmente na última volta, Lewis tentou ultrapassar e houve um contato com o Albon. Nós íamos fazer uma ‘dobradinha’ para a Red Bull, mas essa batida nos tirou esse feito. Mas apesar tudo Albon guiou de forma fantástica e pode sair do Brasil de cabeça erguida”.