Essa é a verdade: terroristas pedem e Israel aceita fim de contra-ataques

Essa é a verdade: terroristas pedem e Israel aceita fim de contra-ataques

O ministro israelense das Relações Exteriores e seu colega alemão, Heiko Maas, em prédio destruído perto de Tel Aviv, em 20 de maio de 2021 - AFP


O Hamas, grupo terrorista financiado pelo Irã que domina Gaza desde o golpe contra o governo eleito pelos palestinos e que prega a destruição de Israel e de todos os judeus e “infiéis” pelo planeta, pediu ao Egito que intermediasse um cessar-fogo com o governo israelense após semanas de lançamentos diários de foguetes contra a população de dezenas de cidades de Israel, que, por sua vez, concordou em interromper os contra-ataques às instalações militares ocultas em escolas, hospitais e edifícios comerciais e residenciais.

Mais uma vez, portanto, após causar pânico e destruição em Israel, obrigando milhares de pessoas a viverem sob intenso medo e ansiedade extrema, sobretudo crianças e idosos que, por várias vezes ao longo dos dias e das noites têm de correr para abrigos antiaéreos, bem como ter feito o Estado judeu gastar milhões de dólares por dia – e por dias! – com o sistema antimísseis conhecido como Iron Dome, sem jamais esquecermos das vítimas fatais palestinas usadas como escudos humanos, além da devastação pelos bombardeios israelenses contra alvos militares, o grupo terrorista fez jus aos milionários aportes financeiros que recebe para manter o conflito na região, e agora, como sempre, pede uma trégua até que retorne ao seu objetivo estatutário: a eliminação de Israel e o afogamento dos judeus no mar.

Qualquer pessoa decente e com princípios humanitários se alegra com o anúncio do cessar-fogo. Qualquer israelense, seja judeu, cristão ou muçulmano, também comemora a paz ainda que saiba ser temporária. Qualquer palestino escravizado e subjugado pelos terroristas sanguinários, igualmente respira aliviado. O mundo ocidental, às voltas com a pandemia do novo coronavírus e suas consequências sociais, políticas e econômicas, tem uma amolação a menos para se preocupar. Os terroristas, cansados e devastados, terão tempo para respirar, produzir novos foguetes, engordar o caixa e planejar novos atentados.

Nessa história toda, apenas o governo israelense não ganha nada com o acordo, já que terá de continuar, 24 horas por dia, 7 dias por semana, 30 dias por mês, 12 meses por ano, para sempre, como faz ininterrupta e incansavelmente desde 1947, a garantir a sobrevivência dos judeus no único lugar do mundo em que jamais serão perseguidos, humilhados, roubados, violentados e assassinados, por quem quer que seja e pela desculpa que for, ainda que isso incomode muita gente.

Veja também
+ Tudo o que você precisa saber antes de comprar uma panela elétrica
+Deolane Bezerra, viúva de MC Kevin, revela que fez cirurgia na vagina
+ Vídeos mostram pessoas preparando saladas com Cheetos no TikTok
+ Instituto Gabriel Medina fecha portas em Maresias
+ Mãe encontra filho de 2 anos morto com bilhete ao lado ao chegar em casa
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Passageira agride e arranca dois dentes de aeromoça
+ Gel de babosa na bebida: veja os benefícios
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Yasmin Brunet quebra o silêncio
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago


Sobre o autor

Ricardo Kertzman é blogueiro, colunista e contestador por natureza. Reza a lenda que, ao nascer, antes mesmo de chorar, reclamou do hospital, brigou com o obstetra e discutiu com a mãe. Seu temperamento impulsivo só não é maior que seu imenso bom coração.


Mais posts

Ver mais

Copyright © 2021 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.