FLORENÇA, 24 JUN (ANSA) – A centro-esquerda venceu a coalizão da premiê da Itália, Giorgia Meloni, nas cinco capitais regionais que tiveram segundo turno nas eleições municipais em 23 e 24 de junho.   

O principal prêmio em disputa era a capital da Toscana, Florença, que terá pela primeira vez uma mulher como prefeita: Sara Funaro, eleita com 60,6% dos votos, contra 39,4% do conservador moderado Eike Schmidt, alemão naturalizado italiano que dirigia as Gallerie degli Uffizi.   

“Sinto a grandíssima emoção de ser a primeira mulher prefeita de Florença”, declarou Funaro, atual secretária municipal de Bem-Estar Social e Saúde e integrante do Partido Democrático (PD). No seu currículo, ela tem um trabalho como voluntária com crianças de rua em Salvador, na Bahia.   

Se a vitória da centro-esquerda já era esperada em Florença, tradicional bastião “vermelho” na Itália, o mesmo não se pode dizer de Potenza, capital da Basilicata e onde o conservador Francesco Fanelli havia vencido o progressista Vincenzo Telesca no primeiro turno por 40,6% a 32,4%.   

No segundo, no entanto, Telesca reverteu o placar e acabou eleito com 64,9% dos votos. As forças de centro-esquerda, capitaneadas pelo PD, também ganharam em Bari (Puglia), com Vito Leccese (70,3%); Campobasso, com Marialuisa Forte (51%); e Perúgia, com Vittoria Ferdinandi (52,1%).   

Das cinco capitais regionais, duas (Perúgia e Potenza) eram comandadas pelo campo conservador.   

Também foram às urnas para o segundo turno outras nove capitais de província, sendo que a centro-esquerda venceu em duas (Cremona e Vibo Valentia), e a coalizão de Meloni, em cinco (Caltanissetta, Lecce, Rovigo, Urbino e Vercelli). Outras duas (Avelino e Verbania) elegeram candidatos independentes.   

A participação do eleitorado foi de 47,71%, forte queda em relação ao índice de 62,83% registrado no primeiro turno.   

(ANSA).