Edição nº2605 29/11 Ver edições anteriores

O Dia

Esportiva da Ducati eleita moto mais bonita na Itália

Streetfighter garante 10ª vitória da marca na 15ª edição do concurso. Modelo apresenta novos equipamentos entre eles garfo de alumínio

A naked esportiva Ducati Streetfighter recebeu o título de moto mais bonita do Salão de Milão (EICMA), em um concurso realizado em parceria com a revista italiana Motociclismo. O evento marcou a primeira vez em que a novidade foi apresentada na Europa, onde chegará às lojas na segunda quinzena de março de 2020. Para o Brasil, o início das vendas é estimado para o segundo semestre do ano que vem.

Além do desempenho, o foco da empresa sempre foi, também, o de investir na estética. Prova disso é que das 15 edições do concurso, esta vitória representa a 10ª da marca. Além do novo visual e motorização ? com 203 cv ? a Ducati Streetfighter traz novos equipamentos.

Entre eles, os novos garfos agora são da FG Racing, feito de alumínio, que se alia ao amortecedor esportivo da Öhlins. Além disso, chega com as rodas personalizadas da Jonich SX, que não são apenas estilossas, mas também fornecem o desempenho esperado dos pneus de alto desempenho.

Eletrônica de ponta

Já o tanque e a armação da naked esportiva foram recobertos com uma camada de cobre texturizada, que harmonizam com uma sela de couro da Foglizzo, que carrega o logotipo da V4 Penta. Por fim, completam o “pacote” de novidades tampa de combustível, alavancas e apoios de pés da Rizoma. As luzes são de uma Ducati Diavel, enquanto o painel é um modelo padrão, mas numa montagem especial em 3D.

Segundo o CEO da Ducati , Claudio Domenicali,”além da Ducati Streetfighter V4, veremos mais motos com o motor originário da Ducati Panigale. Vamos lançar 29 novos modelos nos próximos cinco anos, continuaremos a desenvolver novas versões de produtos existentes e também entraremos em segmentos nos quais não estamos atualmente”.

O Dia

Esportiva da Ducati eleita moto mais bonita na Itália

Streetfighter garante 10ª vitória da marca na 15ª edição do concurso. Modelo apresenta novos equipamentos entre eles garfo de alumínio

A naked esportiva Ducati Streetfighter recebeu o título de moto mais bonita do Salão de Milão (EICMA), em um concurso realizado em parceria com a revista italiana Motociclismo. O evento marcou a primeira vez em que a novidade foi apresentada na Europa, onde chegará às lojas na segunda quinzena de março de 2020. Para o Brasil, o início das vendas é estimado para o segundo semestre do ano que vem.

Além do desempenho, o foco da empresa sempre foi, também, o de investir na estética. Prova disso é que das 15 edições do concurso, esta vitória representa a 10ª da marca. Além do novo visual e motorização ? com 203 cv ? a Ducati Streetfighter traz novos equipamentos.

Entre eles, os novos garfos agora são da FG Racing, feito de alumínio, que se alia ao amortecedor esportivo da Öhlins. Além disso, chega com as rodas personalizadas da Jonich SX, que não são apenas estilossas, mas também fornecem o desempenho esperado dos pneus de alto desempenho.

Eletrônica de ponta

Já o tanque e a armação da naked esportiva foram recobertos com uma camada de cobre texturizada, que harmonizam com uma sela de couro da Foglizzo, que carrega o logotipo da V4 Penta. Por fim, completam o “pacote” de novidades tampa de combustível, alavancas e apoios de pés da Rizoma. As luzes são de uma Ducati Diavel, enquanto o painel é um modelo padrão, mas numa montagem especial em 3D.

Segundo o CEO da Ducati , Claudio Domenicali,”além da Ducati Streetfighter V4, veremos mais motos com o motor originário da Ducati Panigale. Vamos lançar 29 novos modelos nos próximos cinco anos, continuaremos a desenvolver novas versões de produtos existentes e também entraremos em segmentos nos quais não estamos atualmente”.


Destaques





Copyright © 2019 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.