Olá, amigos, do Istoé Esportes, Caio Collet aqui mais uma vez para continuar nossa conversa que começamos há algumas semanas.

Da última vez que passei por aqui, contei um pouco de como cheguei até a Fórmula 3 e os passos da minha carreira nas pistas até lá.

Já encerramos a temporada de 2023 da FIA F3, e agora começamos os planos para a temporada seguinte, então é muito importante explorar bem todas as oportunidades que aparecerem, sejam elas onde for.

O caminho natural depois da Fórmula 3 seria subir mais um degrau no caminho para a F1 e fazer a temporada completa da Fórmula 2. Porém, estamos falando de estar cada dia mais no topo da cadeia dos pilotos de monopostos do mundo, cada cadeira passa a ser ainda mais disputada e exige um orçamento muito grande também.

Portanto resolvemos olhar outros caminhos para a sequência da carreira. E um deles é o automobilismo norte-americano. Sabemos da paixão deles pelas corridas e as categorias nos EUA são muito populares, tanto a NASCAR quanto a Indy e o IMSA também.

Ajustes finais no carro do piloto Caio Collet (1)
Fotos Divulgação

Perto da data em que escrevi pela primeira vez aqui para vocês, eu estava fazendo meu primeiro teste na Indy NXT, a antiga Indy Light. Ela seria o equivalente à F2 no que eles chamam de Road To Indy.

Meu primeiro contato com a categoria e com o carro já foi muito especial. Aceleramos em um dos palcos mais emblemáticos do automobilismo mundial: O Indianapolis Motor Speedway, casa da Indy 500, uma das provas mais importantes do mundo.

Junto com a HMD Motorsports, a atual campeã da categoria, tivemos um dia de testes em Indianápolis que foi muito positivo. Consegui me adaptar bem ao carro, aprender as principais diferenças para o F3 e coletar bons dados depois de muitas voltas na configuração mista do circuito.

Meu segundo teste foi em Barber, outra pista super tradicional do automobilismo deles. Novamente conseguimos um ótimo teste, lideramos a segunda parte do dia e terminamos com o segundo melhor tempo geral dos testes. O que é um resultado muito expressivo para quem está andando pela segunda vez no carro e em uma pista completamente inédita na carreira.

Sobre meu futuro nos EUA, não podemos garantir nada. Estamos trabalhando para que a gente possa ter mais oportunidades de seguir mostrando nosso potencial e quem sabe abrir 2024 em uma nova perspectiva.

Antes de encerrar de vez a temporada, ainda fiz uma corrida em outro tipo de carro, dessa vez longe dos carros de fórmula. Aceitei o convite dos amigos Edu Guedes e Renan Pizii para me juntar a eles na prova que encerra a temporada da Porsche Cup, foram 500km de corrida em Interlagos.

Ajustes finais no carro do piloto Caio Collet

Não foi minha primeira vez em carros de turismo, já havia andado na categoria em outras oportunidades. Mas, é sempre especial receber esse tipo de convite e poder ajudar com a minha experiência duas pessoas que são mais velhas que eu, mas com menos bagagem nas pistas.

Fizemos um ótimo trabalho dividindo a tripulação do carro, eles estavam na disputa pelo título do campeonato e consegui ajudá-los a fechar o ano no lugar mais alto do pódio e levando alguns troféus para casa!

Agora é hora de descansar bem de um ano movimentado nas pistas, aproveitar um pouco a família e os amigos, sentar e pensar nas propostas que temos para 2024 e decidir o melhor caminho para a sequência da minha carreira.

Seguimos na Europa? Vamos para os EUA? Monopostos ou Turismo? Voltarei aqui para contar a todos vocês os próximos passos! Enquanto isso, até lá e boas férias!