O Fluminense já tem técnico para a continuidade da temporada. Confirmado por Mário Bittencourt, Marcão, membro da comissão permanente do clube, comandará o Tricolor até o fim do Campeonato Brasileiro. Técnico substituirá Fernando Diniz, demitido nesta segunda-feira (24), a partir do jogo contra o Vitória, às 19h de quinta-feira (27), no Maracanã.

➡️ Tudo sobre o Tricolor agora no WhatsApp. Siga o nosso novo canal Lance! Fluminense

Na coletiva de imprensa concedida nesta terça (25), Bittencourt elogiou Marcão e confirmou a escolha pelo técnico.

– O que a gente tem aqui é um técnico permanente, que é o Marcão. Todas as vezes que ele assume eu falo. O Marcão é muito qualificado, competente, estudioso, tem todas as licenças e um cara com resultados muito importantes. “Bom, por que ele não foi efetivado?”. É um acordo que a gente tem. Ele é um cara muito importante para os momentos das saídas dos treinadores. Por que a gente sempre efetiva o Marcão na saída dos treinadores? Porque o trabalho dele aqui é diário junto do treinador que está aqui. Em todas as vezes que a gente conversou ele falou: “Minha função é ajudar nos momentos de dificuldade”. Muitas vezes ele dá treino para os não relacionados em horários diferentes. A gente tem um processo decisório longo. O Marcão participa de todos os treinos dos treinadores do Fluminense. Quando o Fernando foi para a Seleção, quem treinava o time foi o Marcão.

– Os treinadores trazem seus auxiliares e levam quando vão. Sempre imaginei ter um técnico interno para que tudo de bom do trabalho fosse jogado no lixo com uma mudança de comando. É mais fácil dar certo se tiver alguém participando desse trabalho. Nas vezes que o Fernando não estava no banco por expulsão era o Eduardo Barros e o Marcão. Em 2019, ele assumiu o time em setembro e ficou até dezembro. Eu entrei num mandado tampão com o time brigando para não cair. O Marcão inseriu conceito deles. Fizemos 16 jogos, ganhamos 6, empatamos 6, e 4 derrotas. No final, nos classificamos para a Sul-Americana. A outra passagem foi na saída do Odair. Fez 12 partidas, seis vitórias, 4 empates e 2 derrotas e nos classificamos para Libertadores. Contratamos o Roger, que desenvolveu o trabalho e saiu depois da eliminação na Libertadores. E aí o Marcão vai até o fim do Brasileiro de 2021.

– O treinador que assumiu o time é da casa, permanente e que nos entregou em três anos a saída de rebaixamento e duas classificações para a Libertadores. Queria muito que vocês respeitassem. Ele é muito competente. Até o dia de hoje não pensamos em treinador, não conversamos com staff nenhum. A gente tem nossa filosofia de trabalho para deixar as pessoas aqui em paz. A tendência é que o Marcão siga até o final da temporada. Em 2009, eu entrei com o Cuca. O clube tinha 16 pontos na quarta rodada do returno. Fui convocado para a gerência de futebol. O clube tinha 99% de chance de cair. Felizmente deu certo, obviamente não foi por minha causa. Ajudei um pouco. Foi muito pelo trabalho do Cuca. A nossa ideia principal é dar tranquilidade ao Marcão. As coisas podem mudar, mas não é nossa intenção. O time vai voltar a vencer.

Números de Marcão como técnico do Fluminense

Marcão já comandou o Fluminense em 91 partidas, entre Copa Sul-Americana, Brasileirão, Copa do Brasil, Brasileirão, Carioca e Brasileirão de Aspirantes. Ao todo, são 91 jogos, com 37 vitórias, 22 empates e 32 derrotas, com 113 gols feitos e 96 sofridos. A última vez que comandou a equipe foi na vitória por 3 a 0 contra o Nova Iguaçu, no Brasileirão de 2024.