Tecnologia & Meio ambiente

Especialistas alertam para possível volta aos EUA de doença que causa paralisia em crianças

Especialistas alertam para possível volta aos EUA de doença que causa paralisia em crianças

O CDC dos EUA disse que "antecipa que 2020 será outro ano de pico para casos de mielite flácida aguda", que afeta principalmente crianças - AFP/Arquivos

Uma condição neurológica rara que afeta principalmente crianças e retorna misteriosamente a cada dois anos provavelmente aparecerá nas próximas semanas e meses, alertaram as autoridades de saúde dos Estados Unidos nesta terça-feira (4).

+ SP deve receber cinco milhões de doses de vacina chinesa em outubro, diz Doria

Os Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) informaram a previsão de que “2020 será outro ano de pico para casos de mielite flácida aguda (AFM)”.

A doença, que provavelmente é causada por um vírus, pode causar paralisia permanente e complicações com risco de vida por insuficiência respiratória, acrescentou o CDC.

“A AFM é uma emergência que requer cuidados médicos e monitoramento imediatos, já que pode progredir rapidamente para insuficiência respiratória”, afirmou nesta terça-feira a jornalistas o diretor do CDC, Robert Redfield.

Ele alertou os pais para não hesitarem em hospitalizar seus filhos, apesar da pandemia de COVID-19, se eles apresentarem sintomas.

A maioria dos pacientes desenvolve fraqueza repentina nos braços ou pernas, com a doença afetando o sistema nervoso, especificamente a área da medula espinhal chamada substância cinzenta, explicou.

A AFM atinge seu pico a cada dois anos, de agosto a novembro, desde 2014.

Em 2018, 238 casos foram identificados nos Estados Unidos, com pacientes com idade média de cinco anos.

Os médicos pouco podem fazer para tratar a doença, que pode causar paralisia em poucas horas ou dias e não tem tratamento conhecido.

“Infelizmente, muitas crianças com AFM terão incapacidade permanente”, disse Thomas Clark, pediatra e vice-diretor de doenças virais do CDC.

“É realmente importante que as crianças entrem em reabilitação”, como fisioterapia e terapia ocupacional, acrescentou.

Autoridades estão contatando as famílias de crianças que contraíram AFM em 2018 para descobrir como a doença progrediu, além de detalhes sobre seu estado atual de paralisia.

Os primeiros sinais de alerta da AFM incluem febre e sintomas respiratórios e, após seis dias, fraqueza nos braços e pernas às vezes acompanhada de dificuldade para caminhar, dor no pescoço ou nas costas e dor nos membros, de acordo com um estudo de 2018 casos.

Além da paralisia permanente, a AFM também pode causar complicações respiratórias graves, com quase um quarto dos pacientes precisando de ventilação mecânica para respirar.

Os enterovírus são os principais suspeitos da causa da AFM, particularmente o enterovírus-D68, encontrado em cerca de 30 pacientes.

Os especialistas do CDC, no entanto, disseram que não descartam o envolvimento de outros vírus na doença.

Veja também

+ Após foto “com volume” ser derrubada no Instagram, Zé Neto republica imagem usando bermuda

+ Jovem é suspeita de matar namorado com agulha de narguilé durante briga por pastel

+ Baleia jubarte consegue escapar de rio cheio de crocodilos na Austrália

+ MasterChef: mesmo desempregado, campeão decide doar prêmio

+ Morre mãe de Toni Garrido: “Descanse, minha rainha Tereza”

+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago

+ 12 razões que podem fazer você menstruar duas vezes no mês

+ Arqueólogo leva 36 anos para montar maquete precisa da Roma Antiga

+ Senado aprova alterações no Código de Trânsito Brasileiro

+ Por que não consigo emagrecer? 7 possíveis razões

+ O que é pior para o seu corpo: açúcar ou sal?

+As 10 picapes diesel mais econômicas do Brasil

+ Cozinheira desiste do Top Chef no 3º episódio e choca jurados

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?

+ Educar é mais importante do que colecionar

+ Pragas, pestes, epidemias e pandemias na arte contemporânea