Saúde da mulher

Saiba qual é o melhor horário para meditar, segundo especialista

Crédito: Pexels

Meditação é uma prática que pode beneficiar a todos, pois atua na redução de estresse e ansiedade, alivia os sintomas depressivos, auxilia na qualidade do sono, estimula a produtividade e o autoconhecimento, e ainda reduz a pressão arterial. Mas você sabe como conquistar esses benefícios? Se atentar ao horário e ao ambiente pode influenciar nesse momento.

+ Tudo bem sentir dor no alongamento? Especialista orienta como praticar a flexibilidade sem prejuízos à saúde


+ O que é vitiligo e qual é a importância da representatividade da doença no ‘BBB 22’

A educadora emocional e professora da yoga Carol Rache indica incluir a meditação na rotina diária. “Não existe hora certa para meditar. A melhor hora é a que cabe na sua rotina. De manhã a mente recebeu poucos estímulos, está mais limpa, e é mais fácil se conectar com o estado de presença. À noite a vantagem é que você consegue promover uma limpeza mental”, explica.

Carol destaca que a prática em horário definido se torna um ritual. “Quem não estabelece um horário designado para os rituais de conexão acaba ‘engolida’ pelas demandas da vida e, assim, não honra o compromisso mais importante do dia: aquele que fazemos com nós mesmas.”

Embora a rotina seja importante, ter flexibilidade de tempo é essencial para não se sentir pressionada em praticar e, consequentemente, se desmotivar. Dessa forma, em caso de imprevistos, é possível ajustar o momento da meditação quando necessário.

A meditação é bem-vinda em qualquer momento, inclusive durante as pausas das tarefas diárias — mesmo nessas ocasiões a prática rápida [de três a cinco minutos] permite voltar ao estado de presença, elevar o foco e ajudar na manutenção do bom-humor, clareza mental e produtividade.

Outro fator importante é o ambiente. “Quanto menos estímulos externos, menores as chances de distração”, destaca a especialista. No entanto, isso não significa que o ritual deve acontecer apensas em locais calmos e silenciosos. “Ao longo do dia você pode meditar no meio do trânsito, na espera do consultório médico ou em um aeroporto, por exemplo. Basta que direcione o foco para o momento presente”, ensina Carol.

Durante a prática, o foco deve se manter no corpo e na respiração. “Sempre que trazemos o nosso foco para o movimento de respirar ou para as sensações do corpo estamos, na verdade, convidando a nossa mente para voltar ao agora. Por isso a meditação é tão eficiente na regulação da ansiedade, caracterizada pela mente projetada no futuro”, conclui.