Brasil

Espanha pede prisão de 8 anos para militar preso com cocaína

SÃO PAULO, 18 OUT (ANSA) – A promotoria espanhola solicitou a condenação a oito anos de prisão do militar brasileiro Manoel Silva Rodrigues, que entrou no país europeu com cocaína no avião presidencial durante viagem da comitiva brasileira ao Japão para o G-20 em junho passado.   

Além da detenção, a justiça pediu também o pagamento de uma multa no valor de 4 milhões de euros, informou o jornal El País na última quarta-feira (16). De acordo com a denúncia, o militar da Aeronáutica foi flagrado, no dia 25 de julho, durante parada no aeroporto de Sevilha, transportando 37 pacotes retangulares de cocaína, um total de 37 quilos. A substância chegou a passar por análises, que confirmaram ser cocaína com pureza de 80,14%. A droga seria vendida para “terceiras pessoas”. Até o momento, nenhum suspeito foi identificado.   

Rodrigues acompanhava a delegação brasileira que levava o presidente Jair Bolsonaro ao encontro de líderes mundiais, realizado em Osaka. O chefe de Estado, no entanto, não estava no mesmo voo que o militar. O caso é investigado pela Aeronáutica do Brasil. Segundo o documento citado pelo jornal espanhol, a quantidade de droga apreendida com o militar foi avaliada em 1.419.262,22 euros. No texto, o promotor aponta para a realização em breve de um julgamento do brasileiro, que está preso desde 26 de junho em Sevilha. (ANSA)