Economia

Espaço adaptado

Enquanto os imóveis não trazem plantas específicas para as novas necessidades criadas pela pandemia, moradores adaptam áreas das moradias atuais

Crédito: GABRIEL REIS

CRIATIVIDADE Estratégias para evitar que o coronavírus entre em casa: áreas especiais, com ganchos e suportes para as bolsas, além de prateleiras e aparadores com recipientes de álcool gel; armários sem portas para facilitar o acesso; no detalhe, dispenser com design sofisticado e sensor que libera álcool gel por aproximação (Crédito: GABRIEL REIS)

Desde que o isolamento social passou a ditar as regras de convivência, as moradias passaram por mudanças e adaptações para deixá-las mais seguras, confortáveis e também para facilitar a rotina dos moradores. Em tempos de pandemia da Covid-19, novos hábitos obrigaram a população a criar ou adaptar espaços em casa para esses novos tempos. Da higienização das mãos e dos produtos comprados no supermercado aos sapatos deixados para fora de casa, a população tenta conciliar praticidade e segurança.

Especialista em design de interiores, o arquiteto Maurício Arruda sugere algumas dicas que podem ser facilmente instaladas nos apartamentos. Entre as sugestões mais simples e de fácil execução está a fixação de ganchos e suportes em paredes próximas da porta de entrada, para evitar que bolsas e mochilas toquem as superfícies. Vale também remover a porta de algum armário para facilitar o acesso ao seu interior, adaptando esse espaço com prateleiras. O especialista sugere também liberar uma área para caixas e cestas dentro do armário.

GABRIEL REIS
GABRIEL REIS

“O hall passou a incorporar uma série de atividades que antes simplesmente não existiam: tirar os sapatos, trocar de roupa, higienizar as compras e objetos pessoais. Para isso, é preciso ter um banco para sentar, uma sapateira e local de apoio para objetos e roupas. Também será necessária uma lixeira nessa área da entrada das residências”, afirma Arruda. Nessa “nova” casa, o escritório também ganha outros ares. Medidas simples, como uma porta de correr ou um biombo, garantem a privacidade do local. Para Arruda, os futuros empreendimentos terão de incorporar essas mudanças, além de outras que serão planejadas tendo em vista que as pessoas vão passar mais tempo em casa. “Haverá maior demanda para customização do espaço, principalmente por conta dos ambientes de trabalho. E como a natureza das atividades pode ser muito diferente, construtoras precisarão flexibilizar mais as plantas para atender a uma maior quantidade de demandas”, prevê.

Veja também

+ Cartucho de videogame do Super Mario Bros. é leiloado por US$ 114 mil e quebra recorde
+ Jovem pede delivery e encontra dedo humano em esfirra
+ Usado: Toyota Corolla é carro para ficar longe da oficina
+ Veja 7 incríveis casas na natureza para sonhar
+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Saiba em quais lugares o contágio pelo novo coronavírus pode ser maior