Economia

Esgotamento de energia pode vir em novembro


Frente ao cenário crítico da crise hídrica nos reservatórios, o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) indicou que pode haver um “esgotamento” de praticamente todos os recursos energéticos em novembro, no fim do período sem chuvas. O alerta foi feito pela perspectiva de aumento no consumo de energia nos próximos meses, puxado pelos setores do comércio e serviços, associado a uma estimativa mais “realista” sobre a quantidade de usinas termoelétricas disponíveis para geração de energia.

De acordo com nota técnica emitida ontem pelo órgão, os níveis de armazenamento dos reservatórios devem chegar próximo ao limite no fim do ano, principalmente nos subsistentes Sul e Nordeste. No pior cenário previsto pelo órgão, o País precisaria de importação de 2 gigawatts de energia para suprir a potência de energia elétrica e garantir o abastecimento.

Além do crescimento da demanda no comércio e serviços, a manutenção do ritmo elevado das indústrias, principalmente daquelas voltadas à exportação, elevou a perspectiva de demanda de energia para os próximos meses. Os dados sobre a disponibilidade de térmicas também foram revisados, já que as usinas podem estar indisponíveis por diferentes motivos.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Veja também
+ Em pose sexy, Cleo Pires afirma: "Amando essa minha bunda grande"
+ Viih Tube é elogiada por look transparente com fio-dental após ataque de haters
+ Corpo de jovem desaparecido é encontrado em caçamba de lixo
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Vídeo: família é flagrada colocando cabelo na comida para não pagar a conta
+ Tudo o que você precisa saber antes de comprar uma panela elétrica
+ Instituto Gabriel Medina fecha portas em Maresias
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Passageira agride e arranca dois dentes de aeromoça
+ Gel de babosa na bebida: veja os benefícios
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Yasmin Brunet quebra o silêncio