Brasil

Esfaqueador de Bolsonaro pode pegar até 20 anos de prisão


O esfaqueador do candidato Jair Bolsonaro (PSL) pode pegar até 20 anos de prisão. Adelio Bispo foi indiciado pela Polícia Federal com base no artigo 20 da Lei de Segurança Nacional – a Lei 7.170/83 (Governo João Figueiredo, último general do regime militar) define os crimes contra a segurança nacional, a ordem política e social.

Se processado e condenado, Bispo pode pegar até 20 anos de reclusão.

O artigo 20 é expresso ao definir pena de reclusão de três a 10 anos para quem ‘praticar atentado pessoal por inconformismo político’. “Se do fato resulta lesão corporal grave, a pena aumenta-se até o dobro; se resulta morte, aumenta-se até o triplo.”

Bispo esfaqueou Bolsonaro na tarde desta quinta, 6, no centro de Juiz de Fora (MG). O candidato fazia ato de campanha.

O agressor foi preso e autuado em flagrante. A investigação indica que ele teria agido sozinho. Na delegacia de Juiz de Fora, Bispo disse que ‘quem mandou (esfaquear Bolsonaro) foi o Deus aqui em cima’.


+ Atleta de Jiu Jitsu morre aos 30 anos de Covid 15 dias após perder o pai pela doença
+ Após ameaças, soldada da PM denuncia coronel por assédio sexual
+ Mulher morre após ingerir bebida alcoólica e comer 2 ovos



O ministro Raul Jungmann, da Segurança Pública, avalia que o ataque pode ter sido ‘ato isolado’. Ele informou que outros dois suspeitos estão sob investigação.

Veja também

+ Canadá anuncia primeira morte de pessoa vacinada com AstraZeneca no país
+ Yasmin Brunet comemora vitória de Gabriel Medina
+ Decifrado código dos Manuscritos do Mar Morto
+ Receita de panqueca americana com chocolate
+ Receita rápida de panqueca de doce de leite
+ Contran prorroga prazo para renovação da CNH
+ Receita de moqueca de peixe simples e deliciosa
+ 5 benefícios do jejum intermitente além de emagrecer
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Sucuris gigantes são flagradas em expedições de fotógrafos no MS