Brasil

Erenice confirma: governo Lula favoreceu empreiteiras em Belo Monte

Erenice confirma: governo Lula favoreceu empreiteiras em Belo Monte

BRAÇO FORTE Erenice Guerra disse que Governo não poderia abrir mão das grandes empreiteiras

Ex-braço direito de Dilma Rousseff na Casa Civil, Erenice Guerra foi ouvida em outubro na PF em Brasília. Ela havia sido acusada na delação premiada de Otávio Azevedo, ex-presidente da Andrade Gutierrez, de ter atuado para favorecer a empreiteira na construção de Belo Monte. Questionada sobre o assunto, Erenice surpreendentemente confirmou as declarações de Otávio. Segundo ela, o governo precisaria incluir a Andrade, a Camargo Corrêa e a Odebrecht nas obras: “Pelo porte do empreendimento, seria muito arriscado destinar sua construção apenas às empresas menores que haviam composto o consórcio investidor que vencera o leilão”.

Pelas declarações de Erenice, já estava tudo garantido às grandes empreiteiras, justamente as maiores pagadoras de propina. “Mesmo as empresas Camargo Corrêa e Odebrecht tendo desistido de participar do leilão, em clara tentativa de obstar sua realização, o governo federal não poderia abrir mão da participação dessas empresas de maior porte, não só pela capacidade técnica, mas também pela capacidade econômica, no sentido de reunir as garantias financeiras necessárias”, afirmou.
Segundo Erenice, a nova configuração do consórcio foi feita por uma “análise técnica” da Eletrobras e obteve o aval do governo federal.

94