Mundo

Erdogan acusa EUA de não respeitar plenamente acordo sobre curdos da Síria

Erdogan acusa EUA de não respeitar plenamente acordo sobre curdos da Síria

(Arquivo) O presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, durante coletiva de imprensa, em Budapeste - AFP/Arquivos

O governo dos Estados Unidos não respeitou plenamente seus compromissos sobre a retirada das forças curdas na Síria, afirmou nesta terça-feira o presidente turco Recep Tayyip Erdogan, antes de viajar a Washington para uma reunião com o colega americano Donald Trump.

“Eu vou afirmar, apresentando documentos, que o acordo que alcançamos não foi respeitado plenamente”, declarou Erdogan em uma entrevista no aeroporto de Ancara.

“Lamentavelmente até agora não é possível dizer que os grupos terroristas abandonaram a região”, afirmou Erdogan, em referência à milícia dos curdos sírio Unidades de Proteção Popular (YPG).

“Nem Rússia nem Estados Unidos conseguiram fazer com que os grupos terroristas se retirassem, segundo o calendário estabelecido”, insistiu Erdogan.

O acordo anunciado em 17 de outubro pelo vice-presidente americano Mike Pence em Ancara permitiu conter a ofensiva iniciada pela Turquia no nordeste da Síria com o objetivo de expulsar as YPG, milícia aliada dos Estados Unidos na luta contra o grupo extremista Estado Islâmico (EI).

O acordo prevê a retirada das YPG da fronteira turca e a criação de uma zona de segurança de 32 km de largura em território sírio.

Em um acordo separado, concluído em 22 de outubro, Erdogan e o presidente russo Vladimir Putin decidiram que as milícias curdas devem abandonar outras áreas da Síria em coordenação com o exército sírio.