ISTOÉ Gente

Equipe de Neymar teria oferecido suborno a ativista e o ameaçado de morte

Crédito: Reprodução/Instagram

O ativista LGBTQIA+ Agripino Magalhães compareceu na última quarta-feira (10) no 15º DP de São Paulo para prestar depoimento sobre um caso de homofobia ligado ao jogador Neymar. Ele denunciou o craque e afirmou que pessoas ligadas ao atleta o ameaçaram de morte e ofereceram suborno para que ele não desse continuidade no processo.

Coronavírus: Geraldo Luís é transferido para o quarto após ficar 11 dias na UTI

Bruno Gagliasso confessa que quer ter mais filhos e não pretende voltar para novelas

Segundo o Notícias da TV, a equipe teria oferecido cerca de R$ 350 mil para Agripino abandonar o caso. “Alega o declarante que recebeu telefonema de um indivíduo que se identificou como sendo ‘Laranjo’, mandando que apagasse todas as postagens sobre o áudio e que desistisse da representação contra o Neymar, pois era pessoa influente e conhecido da promotora de Justiça da cidade de Tupã, e chegou a lhe oferecer o valor de R$ 350 mil, o que o declarante não aceitou.”

Agripino precisou mudar o endereço de casa também, pois foi perseguido presencialmente e até mesmo abordado por dois indivíduos que pegaram seu celular.

Veja também
+ Nicole Bahls já havia sido alertada sobre infidelidade do ex-marido
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Chef playmate cria receita afrodisíaca para o Dia do Orgasmo
+ ‘Transo 15 vezes na semana’, diz Eduardo Costa ao revelar tratamento por vício em sexo
+ Gel de babosa na bebida: veja os benefícios
+ Mercedes-Benz Sprinter ganha versão motorhome
+ Veja fotos de Karoline Lima, novo affair de Neymar
+ Anorexia, um transtorno alimentar que pode levar à morte
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Yasmin Brunet quebra o silêncio
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago