Ediçao Da Semana

Nº 2742 - 12/08/22 Leia mais

Se ao ficar ansiosa você sentiu enjoo, dor na barriga ou até mesmo as chamadas “borboletas no estômago”, saiba que isso é uma reação do seu intestino, grande influenciador do estado emocional, segundo a psicóloga Meg Arroll. 

+ 4 dicas para acabar com inchaço abdominal em uma semana, segundo especialistas

+ Bactérias do intestino podem determinar perda ou ganho de peso

Ao “Woman & Home”, de onde são as informações, a especialista explica que a saúde intestinal está relacionada ao mau-humor e à ansiedade. “O intestino, que abriga o sistema nervoso entérico, é frequentemente referido como o ‘cérebro pequeno’ e o cérebro real é conhecido como o ‘cérebro grande’ quando discutimos as interações cérebro-intestino”.

Pesquisadores descobriram que os baixos níveis de micróbios intestinais — que são saudáveis — aumentam o risco de ansiedade e depressão, enquanto quantidades maiores reduzem essa perspectiva. 

Como resolver a ansiedade intestinal

Os probióticos são bons aliados ao tratamento da ansiedade intestinal, pois podem ajudar a acalmar. “Probióticos são bactérias vivas encontradas em alimentos, como iogurte, e em suplementos. Eles favorecem a microbiota intestinal”, explica Arroll. 

Quanto mais equilibrada for a microbiota intestinal, melhor o funcionamento do intestino. Para aliviar a ansiedade, a psicóloga recomenda escolher probiótico que contenham no rótulo: lactobacilos e bifidobactérias.

Evitar o consumo de refrigerantes e apostar em probióticos podem trazer resultados rápidos — em média dois meses. “Estudos que examinaram o efeito dos probióticos na depressão mostraram que dentro de oito semanas o humor e o funcionamento intestinal melhoraram”, garante a especialista.

Meg Arroll ainda recomenda incluir na dieta: alimentos fermentados, kefir e alimentos frescos e naturais — frutas, legumes, cereais, leite, queijo e azeite. Além disso, dormir bem e evitar o uso de antibióticos desnecessários também podem beneficiar a saúde do intestino.