Saúde da mulher

Entenda a ansiedade sexual e aprenda a superá-la

Crédito: Freepik

A ansiedade sexual é uma condição vivenciada pela maioria das pessoas em algum ponto de suas vidas, afinal, é perfeitamente normal sentir-se apreensiva antes de uma nova experiência sexual. No entanto, apesar de ser comum, a recorrência dessa condição não deve ser normalizada. 

+ Mulheres pedem que ginecologistas tenham empatia com vítimas de traumas sexuais


+ Veja como os ‘sex toys’ ajudam a tirar a dor do caminho do seu prazer

Se você se sente nervosa em termos sexuais mesmo estando em um relacionamento longo ou sendo sexualmente ativa há muito tempo; ou se sua ansiedade está te impedindo de ter qualquer tipo de interação sexual, pode ser a hora de procurar ajuda. Muitas vezes, a solução pode ser simplesmente se reconectar com seu corpo e redescobrir como você gosta de ser tocada. Saber o que você gosta e não gosta te ajudará a comunicar suas necessidades a um(a) parceiro(a), e entender o cerne de sua ansiedade sexual é a chave para superá-la. Entenda com informações da “Woman & Home”.

O que é ansiedade sexual

“A ansiedade durante o sexo pode ser vivenciada por pessoas de todas as idades em todos os tipos de relacionamentos”, revela a terapeuta Katherine Hertlein. “Sempre que acontece e com quem quer que aconteça, a ansiedade sexual costuma estar enraizada no medo ou desconforto de um encontro sexual. Ela pode estar relacionada ao seu estado de espírito e ao medo de não ser capaz de agradar seu parceiro quando se trata de ser íntimo.” 

Causas comuns 

As causas dessa condição diferem de pessoa para pessoa e podem ser vivenciadas antes ou após o sexo. Segundo Katherine, a ansiedade sexual pode ser o resultado de uma condição médica subjacente, bem como de problemas no relacionamento, transtornos de humor e fatores culturais ou religiosos. As principais causas da ansiedade sexual incluem:

• Problemas com autoimagem: Não estar satisfeita com sua aparência pode causar ansiedade sexual e baixa autoestima;

• Ansiedade de desempenho sexual: Sentimento de inadequação quando se trata de “performar” na cama. Pode ser causado por uma experiência negativa anterior, como um relacionamento baseado em brigas seguidas de sexo de reconciliação. Você pode descobrir que seu(ua) parceiro(a) também tem ansiedade de desempenho, e isso está causando evasão sexual em seu relacionamento;

• Estresse acumulado: É comum estar estressada demais para ter relações sexuais. O estresse do dia a dia, com trabalho, relacionamentos e a vida no geral pode causar ansiedade sexual.

• Perda de libido: A falta de excitação pode acontecer devido ao estresse e até mesmo ser efeito colateral de alguns medicamentos. Ela pode levar a um relacionamento no qual o sexo não é presente, à medida que ambos os parceiros param de tentar.

Como saber se você sofre de ansiedade sexual

Sofrer dos problemas acima não significa que você, necessariamente, sofre de ansiedade sexual. Ela geralmente só é diagnosticada se você também tiver algum tipo de disfunção sexual, que muitas vezes se apresenta fisicamente.

“Sentir-se ansiosa com relação ao sexo pode se manifestar de diferentes maneiras, mas é principalmente por meio de sintomas de disfunção sexual”, explica Katherine. “Por exemplo, aqueles que sofrem de ansiedade sexual podem relatar uma incapacidade de chegar ao orgasmo, e isso pode acontecer mesmo que você ache seu(ua) parceiro(a) sexualmente atraente. Às vezes, pode causar total desinteresse por sexo, mesmo em relacionamentos felizes.”

Se você está passando por uma disfunção sexual feminina, deve entrar em contato com um especialista, como um ginecologista ou um terapeuta sexual.

Como superar a ansiedade sexual

• Vá com calma: A paciência é a chave para superar a condição. Por isso, tire o foco exclusivamente do orgasmo, como orienta a terapeuta. “[O sexo] É sobre aproveitar o seu tempo, desfrutar um do outro e encontrar intimidade e conexão. Isso não apenas tirará a pressão sobre você e seu(ua) parceiro(a), mas também é uma chance de aprender o que você acha sensual. Pense nisso como uma tela em branco. É uma chance de explorar o que você gosta sem a pressão do tempo ou objetivo final.”

• Aprimore seu estilo de vida: A preocupação com eventos do dia a dia pode fazer com que sua mente trabalhe até mesmo em momentos em que deveria estar descansando, e isso pode causar a ansiedade sexual. “Infelizmente, nem sempre podemos tirar o estresse de nossas vidas, mas você pode fazer mudanças no estilo de vida para ajudar a lidar com isso”, pontua Katherine.

Segundo ela, uma das melhores formas de aprimorar o estilo de vida é garantindo as sete a oito horas de sono recomendadas todas as noites. Além disso, uma dieta saudável e balanceada e exercícios físicos regulares podem te ajudar a ter um sexo bom novamente.

• Pratique mindfulness: “Afaste-se do foco na ansiedade em torno de nosso corpo e sexo”, recomenda a terapeuta. “Existem muitos recursos, livros e aplicativos que podem te ajudar a se tornar mais ‘pé no chão’ e menos ansiosa.”

• Converse com seu par: Conversar com a outra pessoa sobre sua ansiedade pode te ajudar, principalmente se sua reação inicial é sempre evitar o sexo. Isso ajudará ele(a) a entender pelo que você está passando, e quanto mais comunicação, mais fácil de vocês resolverem a situação juntos.

• Busque ajuda profissional: Se depois de colocar essas técnicas em prática a ansiedade sexual persistir, Katherine recomenda que você se consulte com um especialista. “[A condição] Pode ser o resultado de uma condição de saúde subjacente ou de um medicamento que você está tomando”, indica a terapeuta. 

Você não deve ter medo ou vergonha de conversar sozinha com um terapeuta sexual, ou de fazer terapia sexual com seu(ua) parceiro(a). Ambos podem ajudar a lidar com a ansiedade sexual. “A terapia para redução da ansiedade ou um terapeuta especializado em saúde sexual e terapia de casais podem ser métodos de apoio que mudam a vida. Não sofra em silêncio”, finaliza Katherine.