Enquanto Belo Horizonte sofria com chuvas, prefeito estava no cassino

Enquanto Belo Horizonte sofria com chuvas, prefeito estava no cassino

O prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil, foi alvo de duras críticas por ter saído de férias em meio ao caos que as chuvas provocaram na cidade que ele administra.

+ Mourão, sobre ser vice de Bolsonaro em 2022: ‘Estou trabalhando para isso’

Kalil viajou para a Argentina e divertia-se em cassinos de Buenos Aires, enquanto o temporal deixava pelo menos 13 mortos na capital mineira. Ele teve que voltar rapidinho.

De volta a BH, Kalil trocou o tango pelos lamentos dos moradores da cidade, que reclamam do despreparo da prefeitura para resolver os problemas das enchentes na cidade.

Candidato à reeleição, ele tentou se desculpar: “O que aconteceu aqui foi um furacão. Essa água veio do céu, não foi incompetência administrativa”. Não é o que parece.

Veja também

+ RJ: tráfico promete caçar quem gravou equipe do Bravo da Rocinha: ‘Vai morrer’

+ Hubble mostra nova imagem de Júpiter e sua lua Europa

+ Após morte de cachorro, Gabriela Pugliesi adota nova cadela

+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago

+ MasterChef: mesmo desempregado, campeão decide doar prêmio

+ Arqueólogo leva 36 anos para montar maquete precisa da Roma Antiga

+ Senado aprova alterações no Código de Trânsito Brasileiro

+ Por que não consigo emagrecer? 7 possíveis razões

+ O que é pior para o seu corpo: açúcar ou sal?

+As 10 picapes diesel mais econômicas do Brasil

+ Cozinheira desiste do Top Chef no 3º episódio e choca jurados

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?

+ Educar é mais importante do que colecionar

+ Pragas, pestes, epidemias e pandemias na arte contemporânea


Mais posts

Ver mais

Copyright © 2020 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.