Economia

Energia ‘sem fio’ encerraria ‘pedágio’ a índio e ‘achaque’ de ONG, diz Bolsonaro

O presidente da República, Jair Bolsonaro, voltou a afirmar nesta quarta-feira, 15, que a energia “sem fio”, tecnologia que ele deverá conhecer em viagem aos EUA em fevereiro, resolveria o abastecimento de Roraima. Segundo ele, essa suposta solução terminaria com pagamento de “pedágio” a indígenas e “achaque” de ONGs.

“Vou estar nos Estados Unidos, onde vai ser apresentada pra mim a transmissão de energia elétrica sem meios físicos. Imaginou? O problema de Roraima está resolvido. Não tem que pagar pedágio para índio, não tem que submeter a achaque de ONG”, disse Bolsonaro, em frente ao Palácio da Alvorada, sem apresentar indícios de que essas cobranças são feitas.

Roraima tem enfrentado dificuldade energética. O Estado era abastecido principalmente por importação de energia da Venezuela.

O governo federal pretende conectar a capital Boa Vista com o sistema interligado nacional de energia, mas a construção de uma linha de 750 quilômetros de extensão não foi executada por barreiras socioambientais e deficiências nos estudos de licenciamento.

Alter do Chão

O presidente também voltou a acusar, sem provas, ONGs de incendiarem a floresta. Bolsonaro disse que aguarda a conclusão de investigação sobre membros da ONG Brigadas de Alter do Chão, do Pará, que foram detidos por suspeita de queimadas na Amazônia, mas soltos dias mais tarde.

A investigação já foi contestada pelo Ministério Público Federal (MPF). “Estou aguardando a solução daquele inquérito das queimadas. Ongueiro tacando fogo na floresta e botando na minha conta. Quando falei, o mundo caiu na minha cabeça, aí, depois, vem a realidade aí”, disse Bolsonaro.

Veja também

+ Jacquin ensina a preparar menu para o Dia dos Namorados
+ Morre Erivan de Lima, lenda nacional do mountain bike brasileiro
+ 12 dicas de como fazer jejum intermitente com segurança