Brasil

Empresas italianas levam inovações para a Agrishow 2019

SÃO PAULO, 29 ABR (ANSA) – Uma delegação italiana, incluindo o embaixador da Itália no Brasil, Antonio Bernardini, e o cônsul italiano em São Paulo, Filippo La Rosa, participaram nesta segunda-feira (29) da abertura da 26ª edição da Agrishow, em Ribeirão Preto, onde empresas italianas apresentarão inovações para o agronegócio brasileiro. A maior feira de tecnologia agrícola reunirá soluções e lançamentos das principais tendências do setor em mais de 520.000 metros quadrados. A expectativa é de que as empresas italianas apresentem a alta tecnologia em maquinário, equipamentos e implementos agrícolas, entre outras novidades.   

Hoje, a TIM fez sua estreia na Agrishow. Além de participar do anúncio da iniciativa ConectarAGRO, a empresa está responsável por apresentar novas tecnologias disponíveis para o mercado e expor cases de sucesso do projeto “4G TIM no Campo”.   

O ConectarAGRO tem como objetivo a consolidação e expansão do acesso à internet em diversas regiões produtoras do país. A ideia é promover a adoção de soluções abertas e abrangentes no campo. A TIM é apoiadora da iniciativa e irá comercializar de maneira independente os serviços de conectividade e soluções de IoT (Internet of Things). A expectativa da operadora é conectar, até o final do ano, 5 milhões de hectares com o 4G, contribuindo para o crescimento do agronegócio no Brasil.   

Na feira, a TIM também mostrará diferentes cases do “4G TIM no Campo”, projeto que promove a digitalização de processos por meio da conexão de dispositivos e máquinas. Bolsonaro – Durante sua participação na feira, o presidente Jair Bolsonaro defendeu a isenção de punição ao proprietário rural que ferir um invasor. “Será encaminhado um projeto nosso à Câmara, vai dar o que falar, mas é uma maneira que nós temos de ajudar a combater a violência no campo, é fazer com que ao defender a sua propriedade privada ou a sua vida, o cidadão de bem entre no excludente de ilicitude. Ou seja, ele responde, mas não tem punição”, afirmou.   

Segundo Bolsonaro, a propriedade privada é “sagrada” e esta medida é a forma que deve “proceder para que o outro lado, que teima em desrespeitar a lei, tema vocês, tema o cidadão de bem, e não o contrário”.   

O mandatário explicou que se reuniu com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, no último domingo ( 28), e que, na semana que vem, já colocará a discussão em pauta. A ideia é de que o projeto de lei permita ao produtor rural o uso de armas em todo o perímetro da propriedade. Além de Bolsonaro, o governador de São Paulo, João Doria, também fez um pronunciamento na abertura da Agrishow 2019, em Ribeirão Preto, e afirmou que o setor está cada vez mais em harmonia com o meio ambiente, além de ressaltar que Bolsonaro não deve se preocupar com as recentes pesquisas sobre seu mandato e que todos precisam apoiar a reforma da previdência. (ANSA)