Tecnologia & Meio ambiente

Empresa detecta falha de segurança no WhatsApp e Telegram

Uma companhia de segurança relacionada à informática revelou nesta quarta-feira ter descoberto uma falha nos populares serviços de mensagens Telegram e WhatsApp que permitiria hackear contas de usuários servindo-se do sistema de codificação que supostamente mantém a confidencialidade de suas mensagens.

A companhia americana Check Point Software Technologies afirma em um comunicado que o Telegram e o WhatsApp, alertados por ela no dia 8 de março, resolveram o problema.

Não informou, no entanto, quantas contas puderam efetivamente estar comprometidas, mas afirma que esta falha representava um perigo para “centenas de milhões” de usuários que têm acesso às plataformas a partir de um navegador de internet (em oposição aos que o fazem através de aplicativos móveis propostos pelos dois serviços).

Segundo os investigadores da Check Point, “apenas enviando uma inocente foto, um atacante pode tomar o controle da conta, ter acesso ao histórico de mensagens, a todas as fotos compartilhadas (no serviço), e enviar mensagens no lugar dos usuários”.

O hacker, efetivamente, podia camuflar um vírus na imagem, que era ativado quando o destinatário “clicava” nela.

WhatsApp e Telegram utilizam uma codificação que garante que apenas o expedidor e o destinatário das mensagens possam ver seu conteúdo. Mas, subitamente, os dois aplicativos não tiveram como detectar se este conteúdo inclui vírus.

Para resolver o problema, os dois serviços validam a partir de agora o conteúdo enviado pouco antes de sua codificação, o que permite bloquear o vírus, acrescenta Check Point.

Veja também

+ Entenda como a fase crítica da pandemia de Covid-19 pode ter sido superada em SP
+ Fundador da Ricardo Eletro e filha são presos em operação contra sonegação
+ Fotos íntimas de apresentadora italiana são vazadas em aplicativos de mensagens no Brasil
+ A “primavera das bikes” pós-pandemia vai chegar ao Brasil?
+ Conheça os quatro tipos de carros híbridos e suas diferenças
+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Saiba em quais lugares o contágio pelo novo coronavírus pode ser maior