Em visita à Argentina, o presidente Jair Bolsonaro se reuniu com o presidente Mauricio Macri, na Casa Rosada, e fez um apelo indireto aos argentinos para quer reelejam o mandatário do país vizinho nas próximas eleições. “Toda a América do Sul está preocupada com que não tenhamos novas Venezuelas na região. Devemos nos preocupar e tomar decisões concretas nesse sentido”, declarou Bolsonaro.

No poder desde dezembro de 2015, Macri convive com baixos índices de popularidade e uma persistente crise econômica que o fez recorrer a um empréstimo de US$ 57 bilhões do Fundo Monetário Internacional (FMI).

Em função disso, o presidente implantou uma política de congelamento de preços, contrariando a plataforma liberal que o elegera em 2015. As últimas pesquisas o colocavam atrás da ex-mandatária Cristina Kirchner, mas a peronista, ré por corrupção, abdicou da candidatura para ser vice na chapa de Alberto Fernández, seu ex-chefe de Gabinete.

“Que Deus abençoe a todos eles [os argentinos], porque terão pela frente eleições no mês de outubro. E todos têm de ter muita responsabilidade, muita razão e menos emoção para decidir o futuro desse país maravilhoso”, disse Bolsonaro. “Deus abençoe o povo argentino para que possa escolher o melhor”, acrescentou.

No início de maio, o presidente já havia dito que torcia contra a vitória de Cristina Kirchner, aliada de Lula e Dilma Rousseff.

(ANSA)

Assine nossa newsletter:

Inscreva-se nas nossas newsletters e receba as principais notícias do dia em seu e-mail


Siga a IstoÉ no Google News e receba alertas sobre as principais notícias