Em meio a 4 mil mortes por Covid em um único dia, Bolsonaro janta em São Paulo

Crédito: Reprodução

(Crédito: Reprodução)


Convivas pesos-pesados do PIB nacional irão ter com o devoto da cloroquina nesta quarta-feira (7), em São Paulo, durante jantar na casa de um empresário disposto a tentar incutir algum bom senso naquela cabeça mais oca que pastel de feira.

Em democracias relativamente normais, encontros assim são corriqueiros e necessários, afinal nada mais lógico do que governo e sociedade civil caminhando juntos. Porém, não só não somos normais, como democracia é algo desafeto ao amigão do Queiroz.

Os empresários irão perder tempo; eu aposto! Ou alguém acredita que o pai do senador das rachadinhas e da mansão de 6 milhões de reais irá mudar? Irá deixar de falar e agir como um homicida? Irá se tornar um democrata responsável e abandonar o populismo e as mentiras?

O maníaco do tratamento precoce já teve várias destas “conversas para boi dormir”. Já as teve com o Congresso, com os militares, com o STF e nada adiantou. Tudo o que fala em um dia, ele esquece no outro. É um mitômano incorrigível e um sociopata nato.

O Brasil está no subsolo do fundo do poço exclusivamente por culpa de Jair Bolsonaro. Foi ele que negou a pandemia, que incentivou a desordem social, que boicotou as vacinas e que conduziu o País a mais de 340 mil mortos por Covid-19, numa razão de mais 4 mil por dia.


+ Pastor é processado por orar pela morte de Paulo Gustavo
+ Vídeo: Aluno é flagrado fazendo sexo durante aula da UFSC
+ Ao preço de US$ 1.600 por kg, carne Ozaki é a mais cara do mundo



Também foi ele, e só ele, que desuniu a sociedade, promoveu a cisão do governo federal com governadores e prefeitos, trouxe instabilidade política ao País e atirou, com sua insanidade e tirania, nossa moeda no lixo, elevando assim os preços dos alimentos e combustíveis.

Cada vez mais isolado do mundo que presta, e cercado por um bando de ignorantes e servis incompetentes, o maridão da “Micheque” afundou o País num atoleiro impossível de escapar, e agora finge ser aquilo que não é. Ou melhor, não finge nada. Nem a isso se dá ao trabalho.

Um dia após montar um “comitê” para cuidar do coronavírus, em conjunto com senadores e deputados, apoiado pelo Supremo, simplesmente desdisse tudo o que havia dito e voltou a atacar governadores e prefeitos, a receitar cloroquina e a mentir sobre máscaras e vacinas.

Espero que a comida seja boa, as bebidas de primeira, o papo alegre e que todos desfrutem do ambiente e das companhias, pois assim, ao menos, a noite não será totalmente perdida. Do contrário, se depender minimamente do chefe do Clã das Rachadinhas, será melhor ficar em casa e assistir ao jogo do Galo na TV.

Veja também

+ Receita de bolinho de costela com cachaça
+ Gabriel Medina torna-se alvo de sites de fofoca
+ Cientistas descobrem nova camada no interior da Terra
+ Receita de panqueca americana com chocolate
+ Receita rápida de panqueca de doce de leite
+ Contran prorroga prazo para renovação da CNH
+ Receita de moqueca de peixe simples e deliciosa
+ 5 benefícios do jejum intermitente além de emagrecer
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Sucuris gigantes são flagradas em expedições de fotógrafos no MS


Sobre o autor

Ricardo Kertzman é blogueiro, colunista e contestador por natureza. Reza a lenda que, ao nascer, antes mesmo de chorar, reclamou do hospital, brigou com o obstetra e discutiu com a mãe. Seu temperamento impulsivo só não é maior que seu imenso bom coração.


Mais posts

Ver mais

Copyright © 2021 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.