Esportes

Em jogo truncado, Santos e Olimpia não saem do zero na volta da Liberta

Peixe tem dificuldades na criação, sofre com a marcação paraguaia e, mesmo com um a mais, empata na Vila Belmiro. Alvinegro continua na liderança do Grupo G da competição

Em jogo truncado, Santos e Olimpia não saem do zero na volta da Liberta

+ SP deve receber cinco milhões de doses de vacina chinesa em outubro, diz Doria

Santos e Olimpia, do Paraguai, se enfrentaram na noite desta terça-feira (15), na Vila Belmiro, pela terceira rodada do Grupo G da Libertadores da América, e, em jogo truncado, empataram por 0 a 0. Com o resultado, o Peixe fica na liderança do Grupo G, com sete pontos, enquanto o Olimpia é o segundo com cinco.

Agora, o Peixe enfrenta o Delfin, do Equador, fora de casa, na próxima quinta-feira. Já os paraguaios pegam o Defensa y Justicia, fora de casa.

JOGO COMEÇA TRUNCADO

Quem esperava um começo de jogo agitado com o ânimo da volta da Libertadores se decepcionou. Os dez primeiros minutos foram de muito estudo de ambas as equipes, que erravam muitos passes, contribuindo para uma partida que ficou presa no meio-campo. Os paraguaios tentavam sair nos contra-ataques, mas sem sucesso, enquanto o Peixe apostava em Marinho, muito bem marcado pela defesa adversária.

OLIMPIA ASSUSTA E JOÃO PAULO SALVA

Passados os minutos iniciais, quem levou perigo foi o Olimpia. Aos onze, Ortiz arriscou de fora da área, obrigando João Paulo a fazer uma boa defesa. O lance animou a equipe visitante, que passou a levar perigo nos cruzamentos e nas chegadas pelo meio. Aos 24 minutos, outra chegada dos paraguaios. Pitta, que havia entrado na vaga de Roque Santa Cruz, arriscou finalização da direita, e João Paulo fez mais uma bela defesa.

SANTOS MELHORA E SOTELDO ACERTA A TRAVE

O Santos foi se acertando na etapa incial, apesar de estar com dificuldades na criação. Apostando em bolas longas, o time de Cuca quase não levava perigo. Aos 31 minutos, Raniel recebeu de Carlos Sánchez, girou e finalizou por cima do gol de Azcona. O atacante também furou de forma bisonha na área. Porém, a melhor chance do Santos foi aos 37. Soteldo recebeu livre na área, saiu na cara do goleiro e finalizou rasteiro. Porém, a bola caprichosamente bateu na trave. Com isso, as equipes foram ao intervalo com a igualdade no placar.

SANTOS VOLTA LIGADO E RANIEL PERDE SEM GOLEIRO

A segunda etapa começou com o Santos mais ligado no jogo. Apertando mais a saída de bola, o Peixe não deixava os paraguaios saírem com calma. Aos oito minutos, Felipe Jonatan aproveitou rebote do escanteio e finalizou de fora da área. O goleiro Azcona caiu para fazer a defesa. A melhor chance do Peixe foi aos dez minutos. Soteldo cruzou da esquerda, Carlos Sánchez ajeitou de cabeça, e Raniel não alcançou a bola com o gol aberto.

OLIMPIA TEM JOGADOR EXPULSO, MAS SANTOS NÃO APROVEITA

A partida continuou na mesma toada, com os paraguaios fazendo muitas faltas e o Santos com dificuldade na armação de jogadas. Com tanta dificuldade na criação, coube a Marinho tentar algo de diferente. E de tanto apanhar o atacante conseguiu a expulsão do volante Rojas, que levou o vermelho após dar uma entrada por trás aos 22 minutos. Porém, mesmo com um a mais, o Peixe não conseguia assustar os paraguaios.

SANTOS TENTA PRESSÃO, MAS CRUZAMENTOS NÃO FUNCIONAM

Com tanta dificuldade de criar jogadas, o Santos não conseguia levar perigo ao gol adversário, mesmo com um a mais. O Peixe apostava nos cruzamentos pela área, que eram facilmente cortados pela zaga paraguaia.. Madson e Soteldo não eram felizes nas tentativas ofensivas. Enquanto isso, o Olimpia se fechava na defesa, buscando o empate. Madson ainda assustou, mas o goleiro Azcona fez a defesa, aos 47 minutos.

SANTOS 0 x 0 OLIMPIA

FICHA TÉCNICA
Estádio: Vila Belmiro, em Santos (SP)
Data e horário: 15 de setembro de 2020, às 21h30
Árbitro: Leodan Gonzalez (URU)
Assistentes: Nicolas Taran (URU) e Richard Trinidad (URU)
Renda/Público: Portões fechados
Gols:

Cartões amarelos: Marinho (Santos), Candia, Rodrigo Rojas (Olimpia)
Cartão vermelho: Rodrigo Rojas (Olimpia)

SANTOS (Técnico: Cuca)

João Paulo; Pará (Madson, aos 35’2T), Lucas Veríssimo, Luan Peres e Felipe Jonatan (Jean Mota, aos 35´2T); Alison (Lucas Lourenço, aos 29’2T), Pituca e Carlos Sánchez; Marinho, Soteldo e Raniel (Marcos Leonardo, aos 17’2T)

OLIMPIA (Técnico: Daniel Garnero)

Azcona; Otálvaro, Leguizámon, Alcaraz e Ivan Torres (Arias, aos 39’2T); Ortiz, Rodrigo Rojas, Candia (De La Cruz, Intervalo), Alejandro Silva (Derlis González, aos 26’2T) e Camacho (Caballero, aos 26’2T); Roque Santa Cruz (Pitta, aos 16’1T).

Veja também

+ Após foto “com volume” ser derrubada no Instagram, Zé Neto republica imagem usando bermuda

+ Jovem é suspeita de matar namorado com agulha de narguilé durante briga por pastel

+ Baleia jubarte consegue escapar de rio cheio de crocodilos na Austrália

+ MasterChef: mesmo desempregado, campeão decide doar prêmio

+ Morre mãe de Toni Garrido: “Descanse, minha rainha Tereza”

+ Jojo Todynho solicita ajuda médica e preocupa fãs

+ Capacete estilo astronauta contra Covid-19 gera polêmica na internet

+ Vídeo: Acompanhado por 140 militares, caça Gripen é rebocado pelas ruas de Navegantes

+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago

+ 12 razões que podem fazer você menstruar duas vezes no mês

+ Arqueólogo leva 36 anos para montar maquete precisa da Roma Antiga

+ Senado aprova alterações no Código de Trânsito Brasileiro

+ Por que não consigo emagrecer? 7 possíveis razões

+ O que é pior para o seu corpo: açúcar ou sal?

+As 10 picapes diesel mais econômicas do Brasil

+ Cozinheira desiste do Top Chef no 3º episódio e choca jurados

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?

+ Educar é mais importante do que colecionar

+ Pragas, pestes, epidemias e pandemias na arte contemporânea