Ediçao Da Semana

Nº 2742 - 12/08/22 Leia mais

Em grande momento no Campeonato Brasileiro da Série B, o Vasco volta a campo nesta quarta-feira, às 21h30, no complemento da 15ª rodada. Encara o Novorizontino, no estádio Jorge Ismael de Biasi, em Novo Horizonte (SP), em busca de sua quinta vitória consecutiva e manutenção da invencibilidade.

Único invicto na competição, o Vasco tem 30 pontos e iniciou a rodada com nove de vantagem para o quinto colocado, além de colocar pressão no Cruzeiro na briga pela liderança. Como visitante, o time cruzmaltino já fez seis jogos, sendo duas vitórias e quatro empates.

O Novorizontino vive de oscilações. Após mau início, o time reagiu, se aproximou do G-4, mas voltou a despencar, acumulando seis jogos sem vencer. Na última rodada, porém, quebrou a má sequência ao fazer 1 a 0 no Bahia e chegou a 17 pontos, no meio da tabela. Como mandante, já são sete jogos, sendo duas vitórias, dois empates e três derrotas.

O técnico Maurício Souza deve manter a base do time que venceu o Operário, por 3 a 0. Entretanto, terá desfalques de dois laterais. Gabriel Dias foi poupado por estar com inflamação no joelho, enquanto Léo Matos foi liberado para resolver problemas particulares. Assim, Weverton segue como titular. Novidade na lista de relacionados é o zagueiro Zé Vitor.

Apesar do bom momento, Maurício Souza pregou cautela e lembrou que não existe jogo fácil na Série B. “Não tem jogo fácil, é um campeonato equilibrado. O Vasco vem mostrando sua tônica: um time que luta, que não se entrega, que dificulta muito as ações ofensivas do adversário e que acredita na vitória desde o início. Espero que o Vasco continue evoluindo e dando a alegria da vitória ao nosso torcedor.”

Após estrear com vitória, o técnico Rafael Guanaes busca surpreender o Vasco e voltar a vencer como mandante. Diante do Bahia, o comandante teve vários problemas de suspensão e agora pode fazer mudanças pontuais. A lista de retornos inclui Léo Baiano, Gustavo Bochecha, Felipe Albuquerque e Lucas Tocantins. Por outro lado, perdeu Romário, que levou o terceiro cartão. Com isso, Reverson deve começar.

Rafael Guanaes vibrou com a vitória, mas reforçou que o principal objetivo era que os jogadores tivessem uma mudança de postura, independente do resultado. “É um novo ciclo, com vitória ou com derrota, a prioridade era a coragem e a atitude. Os jogadores foram leões, ou melhor, foram tigres aguerridos. Muito orgulho nesse pouco tempo, mas é só o início do trabalho.”