Esportes

Em crise, Argentina encara grupo da morte na Copa

SÃO PAULO, 13 JUN (ANSA) – Por Renan Tanandone – Com Argentina, Islândia, Croácia e Nigéria, o D é considerado o grupo da morte da Copa do Mundo. Após quase não se classificar, a Argentina chega na competição desacreditada, apesar de contar com o craque Lionel Messi. A Croácia, de Luka Modric e Ivan Rakitic, pode ser uma das surpresas, enquanto Nigéria e a novata Islândia tentarão beliscar uma vaga na próxima fase.   

Azarão – Uma das estreantes na Copa, a Islândia vem surpreendendo desde 2014, quando por muito pouco não se classificou para a última edição da competição, no Brasil. Na ocasião, os islandeses perderam a repescagem para a Croácia.   

Porém, desta vez, após ter chegado nas quartas da última Eurocopa, a Islândia seguiu sonhando e, nas Eliminatórias, superou seleções com mais prestígio, como Croácia, Ucrânia e Turquia, se classificando para a Copa em primeiro lugar do seu grupo.   

Os islandeses são comandados pelo técnico Heimir Hallgrímsson, que é dentista em uma cidade de 5 mil pessoas. Diferentemente de suas adversárias na Copa, não possui renomados atletas em seu elenco. Talvez o jogador de futebol mais famoso do país, Eidur Gudjohnsen, ex-Barcelona, se aposentou em 2016.   

A grande referência da Islândia é o meio-campista Gylfi Sigurdsson, do Everton. Outro que vive boa fase é o atacante Alfred Finnbogason, do Augsburg, autor de 12 gols na última edição do Campeonato Alemão.   

Apesar de não ter grande expressão no futebol, a Islândia contará com um 12º jogador em campo, e talvez o principal deles: sua torcida. A população do país é fanática pela seleção e lota o estádio em seus jogos. Os torcedores islandeses podem fazer a diferença nos atletas que estarão no gramado.   

Corre por fora – Em sua sexta Copa do Mundo, a Nigéria buscará pela primeira vez passar das oitavas. Em 2014, no Brasil, os “Eagles” caíram nesta mesma fase, diante da França.Sob o comando do alemão Gernot Rohr, os nigerianos terão vida difícil na chave D, já que enfrentarão grandes seleções, incluindo a velha conhecida Argentina.   

Em seu elenco, a Nigéria tem como principal destaque o meio-campista Victor Moses, do Chelsea. Outro atleta conhecido é o também meia Obi Mikel, do Tianjin Teda, da China. Além deles, os nigerianos contam com jogadores promissores, como o atacante Kelechi Iheanacho, do Leicester, e os meio-campistas Onyinye Ndidi, também dos “Fox”, e Alex Iwobi, do Arsenal.   

Favoritos – A Argentina quer espantar a maldição do “vice”, após amargar três derrotas em finais nos últimos quatro anos, duas na Copa América e outra na Copa do Mundo. Para isso, os argentinos dependerão muito de sua maior estrela, Lionel Messi.   

No entanto, a classificação da “Albiceleste” para a Copa do Mundo foi conturbada, pois, sob o comando de Edgardo Bauza, que adotava um estilo defensivo, por muito pouco a seleção não ficou de fora do Mundial.   

No meio das crises em campo e na Associação de Futebol Argentino (AFA), Jorge Sampaoli chegou e conseguiu levar o país à Copa do Mundo na última rodada, com uma vitória de virada por 3 a 1 diante do Equador – todos os gols foram marcados por Messi.   

Entre os 23 jogadores que representarão a Argentina na Rússia, o grande destaque é o forte ataque da seleção bicampeã mundial, com Messi, Paulo Dybala, Sergio Agüero e Gonzalo Higuaín. No entanto, Sampaoli resiste em colocar Messi e Dybala juntos.   

O grande mistério da Argentina está no gol, já que, após a lesão de Sergio Romero, os arqueiros Willy Caballero, Nahuel Guzmán e Franco Armani brigam pela titularidade. A Croácia, por sua vez, levou para a Copa uma seleção talentosa e muito técnica, sendo uma das grandes promessas deste Mundial.   

Treinada por Zlatko Dalic, a Croácia conta com um meio-campo de muita qualidade, com Luka Modric, Ivan Rakitic, Mateo Kovacic, Ivan Perisic e Marcelo Brozovic. Outro destaque da seleção croata é o ataque, que conta com Nikola Kalinic e Mario Mandzukic.   

Nas últimas três Copas que disputou, a Croácia caiu na fase de grupos (2014, 2006 e 2002), mas o país tentará repetir a campanha de 1998, na França, na qual conquistou o terceiro lugar.   

Fique de olho – Lionel Messi, de 30 anos, é o jogador para ficar de olho neste grupo, já que o craque argentino está em busca de sua primeira Copa do Mundo para igualar a marca de Diego Armando Maradona.   

O argentino foi um dos grandes responsáveis pela conquista do Campeonato Espanhol pelo Barcelona, anotando 46 gols em 53 jogos na temporada. Além disso, Messi foi o herói da classificação da Argentina, fazendo os três gols da virada diante do Equador.   

(ANSA)