Mundo

Em Camarões, duas mulheres trans são condenadas por “tentativa de homossexualidade”

Crédito: Reprodução/ Facebook

Um tribunal em Camarões condenou na terça-feira (11) duas mulheres transgênero a cinco anos de prisão por “tentativa de homossexualidade” e outros crimes. Shakiro, identificada como Loic Njeukam, e Patricia, identificada como Roland Mouthe, foram presas no último dia 8 de fevereiro por conta das roupas que usavam em um restaurante. As informações são da CNN e da Reuters.

Camarões é um dos mais de 30 países africanos onde as relações entre pessoas do mesmo sexo são ilegais. Além da condenão por “tentativa de homossexualidade”, as duas foram acudas de indecência pública e por não portarem documentos de identidade.

De acordo com a condenação, as duas também deverão pagar multa de 200 mil francos (cerca de R$ 1,9 mil). Ativistas de direitos humanos dizem que a prisão das duas mulheres trans é parte da crescente criminalização de minorias sexuais e pessoas trans nos Camarões.

“Esta é uma decisão política”, disse uma das advogadas, Alice Nkom, que prometeu recorrer da sentença. Conforme a Human Rights Watch, as prisões de Shakiro e Patricia parecem ser parte de “um aumento geral na ação policial” contra as minorias sexuais. Desde maio de 2020, 53 pessoas foram presas, com alguns relatos de terem sido espancados e submetidos a “exames anais” forçados para confirmar acusações de homossexualidade.

Veja também
+ Nicole Bahls já havia sido alertada sobre infidelidade do ex-marido
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Chef playmate cria receita afrodisíaca para o Dia do Orgasmo
+ ‘Transo 15 vezes na semana’, diz Eduardo Costa ao revelar tratamento por vício em sexo
+ Gel de babosa na bebida: veja os benefícios
+ Mercedes-Benz Sprinter ganha versão motorhome
+ Veja fotos de Karoline Lima, novo affair de Neymar
+ Anorexia, um transtorno alimentar que pode levar à morte
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Yasmin Brunet quebra o silêncio
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago