Mundo

Elon Musk teria mostrado pênis e oferecido cavalo em troca de ‘massagem erótica’ a comissária de bordo, diz site

Elon Musk teria mostrado pênis e oferecido cavalo em troca de ‘massagem erótica’ a comissária de bordo, diz site

CEO da Tesla, Elon Musk

A SpaceX, uma das empresas do bilionário Elon Musk, teria pago US$ 250 mil como forma de acordo para encerrar uma acusação de má conduta sexual contra o empresário. De acordo com o site Business Insider, Musk foi acusado de mostrar o pênis a uma comissária de bordo em 2016.

Segundo a reportagem, a mulher contou a uma amiga que o empresário pediu a ela que entrasse em sua cabine privativa para uma massagem durante um voo para Londres. Ao chegar no local, viu que o empresário “estava completamente nu, exceto por um lençol cobrindo a metade inferior de seu corpo”.

Durante a massagem, conforme o relato da mulher,  Musk “expôs seus genitais” e depois “tocou na perna dela e se ofereceu para comprar um cavalo se ela ‘fizesse mais’, referindo-se à realização de atos sexuais”.

A comissária de bordo, que anda a cavalo, recusou e terminou a massagem sem se envolver sexualmente, diz a declaração. Em 2018, a SpaceX teria pago US$ 250 mil para resolver a alegação de má conduta sexual contra ele.

Ainda conforme o Business Insider, massagens são consideradas importantes na SpaceX. Antes do episódio, a comissária de bordo foi incentivada a obter a licença de massagista.

Dois anos após o suposto ocorrido, a comissária de bordo contratou um advogado trabalhista da Califórnia e enviou uma reclamação ao departamento de recursos humanos da SpaceX. Segundo a amiga da comissária, ela teria percebido que as oportunidades dentro da empresa diminuíram depois que ela rejeitou a proposta de Musk.

Um acordo foi rapidamente fechado e a comissária de bordo foi paga com a condição de não seguir com o processo. O acordo também a impede de divulgar qualquer informação de qualquer tipo sobre Musk e seus negócios, incluindo SpaceX e Tesla.

Em nota ao Business Insider, Musk afirmou  que há “muito mais nessa história” e classificou o relatório do site de  “uma peça de sucesso politicamente motivada”. “Se eu estivesse inclinado a me envolver em assédio sexual, é improvável que seja a primeira vez em toda a minha carreira de 30 anos que isso venha à tona”, diz o comunicado.

Após a publicação da reportagem, Musk também se pronunciou no Twitter. “Os ataques contra mim devem ser vistos por uma lente política – este é o manual padrão (desprezível) deles – mas nada me impedirá de lutar por um bom futuro e seu direito à liberdade de expressão”, escreveu.

“E, para registro, essas acusações selvagens são totalmente falsas”, afirmou Musk em resposta a um usuário da rede. “Eu tenho um desafio para esta mentirosa que afirma que sua amiga me viu ‘exposto’ – descreva apenas uma coisa, qualquer coisa (cicatrizes, tatuagens, …) que não seja conhecida pelo público. Ela não será capaz de fazê-lo, porque isso nunca aconteceu”, declarou o empresário.

“Finalmente, podemos usar Elongate como nome de escândalo. É meio perfeito”, comentou em outro post mais tarde.