SÃO FRANCISCO (Reuters) – O bilionário Elon Musk disse que lançará uma plataforma de inteligência artificial (IA) que ele chama de “TruthGPT” (ou GPT da Verdade, na tradução livre), aparentemente desafiando o popular chatbot da OpenAI, ChatGPT.

“Vou começar algo que chamo de ‘TruthGPT’, ou seja, uma IA que busca a verdade máxima e tenta entender a natureza do universo”, disse Musk em entrevista a um programa da Fox News, que irá ao ar ainda nesta segunda-feira.

“E acho que esse pode ser o melhor caminho para a segurança, no sentido de que uma IA que se preocupa em entender o universo é improvável que aniquile os seres humanos, porque somos uma parte interessante do universo”, disse ele, de acordo com alguns trechos da entrevista.

Musk não respondeu de imediato ao pedido de comentário da Reuters.

O bilionário tem contratado pesquisadores de inteligência artificial do Google, de propriedade da Alphabet, para lançar uma startup concorrente da OpenAI, disseram fontes familiarizadas com o assunto à Reuters.

Assine nossa newsletter:

Inscreva-se nas nossas newsletters e receba as principais notícias do dia em seu e-mail

No mês passado, Musk registrou uma empresa chamada X.AI Corp, incorporada em Nevada, de acordo com um documento estadual. A empresa listou Musk como o único diretor e Jared Birchall, diretor administrativo do escritório da família de Musk, como secretário.

“DESTRUIÇÃO CIVILIZACIONAL”

O movimento ocorre mesmo após Musk e um grupo de especialistas em inteligência artificial e executivos do setor pedirem uma pausa de seis meses no desenvolvimento de sistemas mais poderosos do que o recém-lançado GPT-4 da OpenAI, citando potenciais riscos para a sociedade.

Musk também reiterou seus alertas sobre a tecnologia durante a entrevista, dizendo que “a IA é mais perigosa do que, por exemplo, um projeto de aeronave ou manutenção de produção mal gerenciados ou uma produção ruim de carros”, de acordo com os trechos.

“Isso tem o potencial de destruição civilizacional”, disse ele.

Musk cofundou a OpenAI em 2015, mas deixou o conselho da empresa em 2018. Em 2019, ele tuitou que deixou a OpenAI porque precisava se concentrar na Tesla e na SpaceX.

Ele também tuitou na época que outras razões para sua saída da OpenAI foram “que a Tesla estava competindo por algumas das mesmas pessoas as quais a OpenAI competia, e eu não concordava com algumas das coisas que a equipe da OpenAI queria fazer”.

(Reportagem de Hyunjoo Jin, Krystal Hu, Anna Tong e Sheila Dang)

 

tagreuters.com2023binary_LYNXMPEJ3H004-VIEWIMAGE


Siga a IstoÉ no Google News e receba alertas sobre as principais notícias