Ediçao Da Semana

Nº 2742 - 12/08/22 Leia mais

O ítalo-brasileiro Romulo Caldeira tem sido um dos líderes no elenco do Cruzeiro nesta temporada. Colaborando não só dentro de campo, a versatilidade do jogador aliado ao seu apetite pelo preparo físico tem contribuído como exemplo para os mais jovens na raposa.

Em entrevista a IstoÉ, o jogador, de 35 anos, contou como tem sido a experiência de conviver com o gestor Ronaldo e o que mudou no Cruzeiro, líder da Série B e com atuações mais sólidas nesta temporada. Romulo falou também sobre o que mais chamou sua atenção no retornou ao futebol brasileiro.

“Como sou fissurado por performance física, chamou muita minha atenção aqui no brasil a média de quilômetros por partida de jogadores. É quase 20% a menos do que os cinco dos principais campeonatos europeus”. Ele destacou ainda que se comparado a alta intensidade “cai ainda mais”.

“Realmente tem alguns fatores que são preponderantes para isso: logística, quando a gente viaja muito o corpo naturalmente desgasta; o calendário, aqui no Brasil ele é mais exprimido ainda, com mais jogos durante o ano, mas um fator que ninguém para pensar é o clima, que faz toda a diferença, completou.

16/06/2022 – Cruzeiro x Ponte Preta – Brasileirão Serie B

Com a boa fase da equipe mineira, Romulo foi questionado sobre o que mudou no Cruzeiro desde a sua chegada, em 2021. O lateral-direito destacou o trabalho do atual técnico da raposa, Paulo Pezzolonano.

“São várias coisas que estão funcionando bem ao mesmo tempo para que o Cruzeiro esteja como líder do Campeonato, a equipe vem jogando bem e fazendo boas atuações pela mão do Paulo Pezzolano. Ele é um cara jovem, parou de jogar muito cedo e por onde passou fez ótimos trabalhos”, avaliou.

Para o capitão da raposa, o uruguaio possuí uma metodologia de trabalho ampla, com consciência de onde e como chegar no objetivo.

“É um cara muito atualizado, que treina com uma visão de jogo diferente, ele não tem somente processo, tem propósito e consegue transmitir isso, por ser muito comunicativo. Muito inteligente e um dos melhores treinadores e leitura de futebol. Sempre procura treinar o time na linha ofensiva, seja enfrentando o Flamengo ou um time da quarta divisão.”, detalhou.

16/06/2022 – Cruzeiro x Ponte Preta – Brasileirão Serie B (Crédito:Gustavo Aleixo)

“Principal objetivo é o acesso”

Sobre o que o torcedor cruzeirense pode esperar nesta temporada, Romulo transmitiu que, apesar da grandeza do clube, a meta segue sendo a conquista de uma vaga da Série A do Brasileirão do próximo ano.

“A torcida tem que entender que o Cruzeiro de hoje tem muitos jogadores jovens, muitos jogadores que estão vestindo pela primeira vez a camisa de um grande clube, somos uma equipe recém-montada. Nosso objetivo dentro da Copa do Brasil é chegar o mais longe possível, mantendo sempre como prioridade o acesso”, revelou.

Cruzeiro x Athletic, pelo Campeonato Mineiro, em Belo Horizonte. Foto: Gustavo Aleixo/Cruzeiro

Relação com Ronaldo

Recentemente, em uma live, Ronaldo Fenômeno fez questão de elogiar o interesse de Romulo por estudar futebol e analisar o esporte mais profundamente. Nesse sentido, o jogador entende que as mudanças promovidas pelo ex-jogador na gestão do Cruzeiro são parte do sucesso dentro de campo.

“A gestão do Ronaldo e da equipe dele inteira que é muito boa, são muitas coisas que estão funcionando: pagamentos em dia, funcionários felizes, então tudo isso contribui para que os resultados venham”, elencou.

Natural de Pelotas, no Rio Grande do Sul, Romulo fez boa parte da sua trajetória no futebol na Itália. Aos 35 anos, ele pensa que consegue jogar em alto nível por mais três anos e que, caso tenha uma queda na parte física, prefere pendurar as chuteiras.

Com passagens por Juventus, Lazio, Fiorentina, Hellas Verona, Genoa e Brescia, o italo-brasileiro disse que sempre teve um perfil de jogador observador e aproveitou para absorver tudo que lhe foi passado até então.

“Leio vários livros, procuro aprender da melhor forma possível aquilo que eu faço. Para que, quando eu pare de jogar, eu já esteja pronto”.

“O mercado é muito dinâmico, as pessoas se atualizam muito rápido. Então, eu procuro não perder tempo”.

Dessa forma, Romulo procurou se especializar antes mesmo da aposentadoria como jogador. Além de se naturalizar italiano, o jogador possui a licença da Uefa de treinador, adquirida na Itália, e um curso de pós-carreira.

“Eu fiz o curso lá na Itália. Hoje é a principal escola de futebol e é um dos cursos mais difíceis do mundo de conseguir. Quando eu consegui a licença Uefa pela Itália foi uma conquista muito grande para minha carreira”, relembrou.

Estudo x futebol raiz

Com um estilo de trabalhar voltado mais para o lado estudioso, Romulo disse que respeita quem pensa no estudo sobre futebol como uma coisa desnecessária, mas não esconde que os métodos europeus com base em análise tem gerado frutos.

“Se a gente for parar para pensar, a última vez que o Brasil ganhou uma Copa do Mundo foi em 2022. Já se passaram 20 anos. As seleções que conquistaram as últimas copa são todas europeias. Algum motivo tem! E lá [Europa], o futebol é muito estudado”, ressaltou.

“[no Brasil] Tem que urgentemente seguir essa linha. Grandes treinadores no Brasil já estão fazendo isso: Tite, na Seleção, é um cara que estuda demais. O aproveitamento dele é fantástico e histórico, falta só a Copa para colocar a cereja em cima do bolo e nós torcemos para que isso aconteça”, completa.

Falando em Copa do Mundo, o Mundial no Catar será realizada entre os meses de novembro e dezembro deste ano, o que representa o meio da temporada europeia. Com base nesse aspecto, Romulo entende que o Brasil não sai em desvantagem, já que praticamente todos os selecionados de Tite atuam no velho continente.

“Esperamos que o Brasil possa chegar forte, praticamente todos os jogadores atuam na Europa. Então, o calendário vai favorecer. O Brasil precisa voltar a vencer para coroar o trabalho que o Tite vem fazendo. Ele ganhando essa copa vai abrir um horizonte para a modernidade, atualização e análise”, finalizou