Ediçao Da Semana

Nº 2742 - 12/08/22 Leia mais

Edu Dracena pediu demissão do cargo de executivo de futebol do Santos e se despediu do clube nas redes sociais na manhã desta quinta-feira (07). O Santos já havia sinalizado a saída de Dracena, do técnico Fabián Bustos e do gerente de futebol, Guilherme Lipi, após a eliminação para o Deportivo Táchira, na Vila Belmiro, pela Copa Sul-Americana.

– Encerro hoje minha passagem como executivo de Futebol do Santos FC. Já vinha avaliando a minha saída há algum tempo e ontem, após o jogo, procurei o presidente e entreguei o cargo. Assumi o time na zona de rebaixamento do Brasileiro 2021. Em 11 rodadas e com uma fantástica recuperação do elenco, alcançamos o décimo lugar e afastamos o risco de queda. Este ano, após um péssimo Paulista, estamos na metade da tabela do Brasileiro, chegamos às oitavas da Copa do Brasil e da Sul-Americana. E falhamos. Tenho consciência de que a torcida do Santos merece mais – afirmou.

– Entre acertos e erros, deixo como legado uma mudança de chave: não permitir que o Santos perca seus maiores talentos formados na base. Nos últimos anos, o Clube perdeu muitos. Meu ponto de honra foi dar um basta a esta situação. Renovamos os contratos das revelações mais importantes do Santos. Além do retorno esportivo que jovens como Marcos Leonardo, Ângelo, Kaiky e Lucas Pires já dão ao Santos – e darão muito mais! -, seus contratos longos vão garantir valores importantes no futuro, o que possibilitará a restruturação financeira que o Santos tanto precisa. Graças a estas futuras vendas, meus sucessores terão uma estrutura melhor para trabalhar e um orçamento infinitamente maior para a montagem do elenco do que eu tive – ressaltou.

– As contratações que fizemos foram feitas sempre dentro de um limite muito claro. Investimos US$ 1 milhão para trazer todos os reforços este ano, valor inferior ao investido por quase todos os clubes da Série A do Campeonato Brasileiro. Com as saídas e entradas, a folha salarial permanece no mesmo patamar de 2021. Alguns dos reforços já são realidade para o torcedor. Outros são apostas. Há atletas que chegam e jogam todo seu potencial; outros precisam de mais tempo para amadurecer. Mas, ao final do ano, as contratações que forem consideradas equivocadas não vão ‘quebrar’ o Clube e inviabilizar seu futuro, como o torcedor presenciou em tempos bem recentes. Quero agradecer ao presidente Rueda pelo convite; a todos os atletas, às comissões técnicas e a cada funcionário do CT Rei Pelé e da Vila Belmiro por acreditar em mim. Desejo sucesso ao Santos e deixo toda minha gratidão a todos os santistas – revelou.

Dracena foi convidado pela gestão Rueda para ser o homem forte do futebol em outubro do ano passado. Ex-jogador do Santos, Dracena chegou ao clube em 2009 vindo do Fernerbahçe, da Turquia, sob desconfiança por conta de problemas físicos. Mas com bom futebol, logo ganhou a titularidade e a tarja de capitão da equipe. O zagueiro ficou no Peixe até o final de 2014 e foi um dos líderes do Santos nesses cinco anos em que atuou na Vila Belmiro. Além da Libertadores, venceu o Paulista três vezes, a Copa do Brasil e a Recopa. Com a camisa alvinegra fez 227 jogos e marcou 17 gols