Brasil

Edison Brittes diz que filho de político está envolvido na morte de Daniel

Crédito: Rubens Chiri sãopaulofc.net/Reprodução TV Globo

Daniel (esq.) e o acusado do crime Edison Brittes (dir.) (Crédito: Rubens Chiri sãopaulofc.net/Reprodução TV Globo)

Edison Brittes, suspeito de assassinar Daniel Corrêa, afirmou em depoimento na última quarta-feira (7) que mentiu sobre a autoria do crime para proteger o filho de um político paranaense e os que testemunharam o caso. As informações são do UOL.

De acordo com Edison, também conhecido como Juninho, o filho de um casal de políticos paranaenses estava na cara e foi o responsável por dar socos e pontapés em Daniel, além de ter quebrado o celular do atleta. O irmão gêmeo não participou das agressões, segundo o depoimento.

O delegado que comanda o caso diz que outros quatro rapazes, todos na faixa dos 20 anos, teriam agredido Daniel e que já foram identificados pela polícia. Após o crime, Edison Brittes se reuniu com todos eles em um shopping para combinar uma versão em que assumiria a responsabilidade pelo crime.

Na última terça-feira (7), o delegado ainda afirmou que Edison estaria mentindo sobre o caso de estupro citado como justificativa pelo crime, assim como a esposa Cristiana e a filha Allana. Os três estão presos preventivamente.

+ Menina engasga ao comer máscara dentro de nugget do McDonald’s

Veja também

+ Gésio Amadeu, o Chefe Chico de Chiquititas, morre após contrair Covid-19

+ Funcionário do Burger King é morto por causa de demora em pedido

+ Seu cabelo revela o que você come (e seu nível socioeconômico)

+ Cozinheira desiste do Top Chef no 3º episódio e choca jurados

+ Governo estuda estender socorro até o fim de 2020

+ Bolsonaro veta indenização a profissionais de saúde incapacitados pela covid-19

+ Nascidos em maio recebem a 4ª parcela do auxílio na quarta-feira (05)

+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?