Esportes

Edênia leva tetra mundial paralímpico e Mizael reclama após bronze de Daniel Dias

O Brasil fechou a quinta-feira com um ouro, uma prata e um bronze no Mundial Paralímpico de Natação que acontece em Londres. O destaque ficou por conta do tetracampeonato de Edênia Garcia nos 50 metros costas e do controverso terceiro lugar de Daniel Dias, que perdeu para dois atletas reclassificados recentemente.

A brasileira ficou em primeiro lugar na classe S3 com o tempo de 56s71 e garantiu a quarta medalha dourada do País no torneio. A norte-americana Leanne Smith ficou com a prata (58s42) e a britânica Ellie Challis terminou com o bronze (58s91). A paulista Maiara Barreto terminou a prova em quarto lugar (1min00s03).

Edênia acumula também no currículo os títulos mundiais em Mar Del Plata-2002, Durban-2006 e Eindhoven-2010. Essas três conquistas anteriores foram na classe S4. Recentemente, ela foi reclassificada, pois sua doença havia comprometido ainda mais seus movimentos. A brasileira nasceu com atrofia fibular muscular, que afeta membros inferiores e superiores.

“Esta é a minha prova, eu sempre digo que minha estratégia é sair forte, nadar forte e chegar forte. É sempre assim e não deu outra. É meu quarto título mundial, estou bem feliz”, disse a nadadora de 32 anos. “Aos 15 anos de idade (em Mar Del Plata-2002) talvez eu não soubesse o que representava ser campeã mundial e nem que eu pudesse chegar ao quarto ouro. Hoje, aos 32 anos, eu sei o que significa”, comentou.

Poucos antes do pódio de Edênia, Joana Neves conquistou a prata nos 50m borboleta da classe S5 com o tempo de 47s21. O ouro ficou com a italiana Arianna Talamona (45s62) e o bronze foi para a turca Sevilay Ozturk (47s35).


+ Grávida do quinto filho, influenciadora morre aos 36 anos
+ Após assassinar a esposa, marido usou cartão da vítima para fazer compras e viajar com amante

PÓDIO CONTROVERSO – A outra medalha brasileira do dia ficou com Daniel Dias, a 38ª dele em Mundiais. Nos 50m borboleta, ele não conseguiu superar dois atletas que até pouco tempo eram de uma classe com menor comprometimento físico, mas foram reclassificados. O chinês Lichao Wang faturou o ouro e o ucraniano Yaroslav Semenenko terminou com a prata.

Esses dois nadadores foram medalhistas no Rio-2016 na classe S6. Em função das novas regras implementadas pelo Comitê Paralímpico Internacional (IPC, na sigla em inglês), Yaroslav e Lichao disputam agora na S5, classe em que Daniel Dias está há 15 anos. O chinês nadou em 31s52 e bateu o recorde mundial da prova, enquanto que Semenenko fechou a prova em 33s22. Daniel terminou com o tempo de 34s44.

“Queria nadar para 34s, estou feliz com o tempo, desde os Jogos Paralímpicos do Rio que não saía esta marca nos 50m borboleta, estou feliz com meu tempo. Não vou deixar de dar o meu melhor a cada prova, não vão ser as coisas da natação que vão atrapalhar minha performance. Vou sempre buscar o meu melhor, sempre”, comentou Daniel.

O presidente do Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB), Mizael Conrado, reclamou nas redes sociais mais uma vez sobre a reclassificação. “Muita irresponsabilidade e falta de compromisso com nosso esporte e com nossos atletas, estão transformando uma de nossas principais modalidades em uma grande bagunça repleta de injustiças”, afirmou.

Após quatro dias de disputa, o Brasil ocupa o sétimo lugar no quadro de medalhas, com quatro ouros, três pratas e três bronzes. Grã-Bretanha e Itália lideram com 12 ouros cada, porém os italianos somam nove pratas, contra oito dos anfitriões.

Veja também

+ 5 benefícios do jejum intermitente além de emagrecer
+ Jovem morre após queda de 50 metros durante prática de Slackline Highline
+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Previsões de Nostradamus para 2021: Asteróide e ‘fim de todo o mundo’
+ 6 fotos em que o design de interiores do banheiro foi um fracasso total. Confira!
+ De biquíni verde cavado Lívia Andrade arranca elogios da web ao tomar banho de sol
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel