Economia conclui estudos para prorrogar Auxílio Emergencial

Ideia é manter o benefício até abril do ano que vem, por restrições do ano eleitoral

Crédito: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

Imagem do aplicativo Caixa Auxílio Emergencial (Crédito: Marcello Casal Jr/Agência Brasil)


A equipe econômica do Governo, a contragosto e sob restrições orçamentárias, conclui nesta semana estudos que vão alinhar a prorrogação do pagamento do Auxílio Emergencial até pelo menos abril de 2022, ano eleitoral.

Os valores do Emergencial são de R$ 150 e R$ 300, a depender do perfil do beneficiário – com ou sem família. O chefe da pasta, Paulo Guedes, e o secretário do Tesouro, Jeferson Bittencourt, tentaram resistir à ala política do Governo.

Mas recuaram após o presidente Bolsonaro verbalizar a prorrogação. Sobre os estudos, o Ministério da Economia, procurado pela Coluna, é lacônico: “Não vamos comentar”.

Internamente, Bittencourt comenta que o “Governo tem ‘fortes restrições’ para renovar auxílio emergencial”.

Em nota enviada nesta quinta-feira (7/10) à Coluna, o ministério informa que “não fez nenhum estudo para prorrogar o Auxílio Emergencial. O Ministério é a favor de que qualquer novo programa social seja feito dentro do teto de gastos.” A Coluna mantém a informação publicada, confiando nas fontes da pasta, e a resposta citando o “teto de gastos” corrobora o que nos foi passado sobre a preocupação dos gestores sobre os custos do programa.


Saiba mais
+ Morre a atriz Noemi Gerbelli, a diretora Olívia da novela 'Carrossel', aos 68 anos
+ Modelo brasileiro se casa com nove mulheres e vira notícia internacional
+ Horóscopo: confira a previsão de hoje para seu signo
+ Receita simples e rápida de asinhas de frango com molho picante
+ Conheça o suco que aumenta a longevidade e reduz o colesterol
+ CNH: veja o que você precisa saber para a solicitação e renovação
+ Vídeo de jacaré surfando em Floripa viraliza na internet
+ Veja quais foram os carros mais roubados em SP em 2021
+ Expedição identifica lula gigante responsável por naufrágio de navio em 2011
+ Tudo o que você precisa saber antes de comprar uma panela elétrica
+ Descoberto na Armênia aqueduto mais oriental do Império Romano
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Gel de babosa na bebida: veja os benefícios
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais


Sobre o autor

Leandro Mazzini começou a carreira jornalística em 1996. É graduado em Comunicação Social pela FACHA, do Rio de Janeiro, e pós-graduado em Ciência Política pela UnB. A partir de 2000, passou por ‘Jornal do Brasil’, ‘Agência Rio de Notícias’, ‘Correio do Brasil’, ‘Gazeta Mercantil’ e outros veículos. Assinou o Informe JB de 2007 a 2011, e também foi colunista da Gazeta. Entre 2009 e 2014 apresentou os programas ‘Frente a Frente’ e ‘Tribuna Independente’ (ao vivo) na REDEVIDA de Televisão, em rede, foi comentarista político do telejornal da Vida, na mesma emissora e foi comentarista da Rede Mais/Record TV em MG. Em 2011, lançou a ‘Coluna Esplanada’, reproduzida hoje em mais de 50 jornais de 25 capitais e interior Foi colunista dos portais ‘UOL’ e ‘iG’ desde então, e agora escreve no blog que leva seu sobrenome no portal da ‘Revista Isto É’, onde conta com o trabalho dos jornalistas Walmor Parente e Carolina Freitas, além de correspondentes no Rio e Recife. É também comentarista das rádios ‘JK FM’ em Brasília, ‘Super TUPI’, do Rio, e ‘Rádio Muriaé’.


Mais posts

Ver mais

Copyright © 2021 - Três Editorial Ltda.
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento: A Três Comércio de Publicações Ltda., empresa responsável pela comercialização das revistas da Três Editorial, informa aos seus consumidores que não realiza cobranças e que também não oferece o cancelamento do contrato de assinatura mediante o pagamento de qualquer valor, tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A empresa não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças.