Economia

EASA estudará risco de colisão entre aeronaves e drones

A Agência Europeia de Segurança Aérea (EASA) anunciou nesta quarta-feira que examinará o risco de colisão entre aeronaves e drones, diante do uso crescente destes dispositivos voadores não tripulados.

Um grupo de trabalho formado por representantes da indústria aeronáutica estudará as “vulnerabilidades dos aviões”, inclusive seus para-brisas e fuselagem, indicou a EASA em um comunicado.

Este grupo também “revisará fatos relevantes” e analisará estudos já existentes sobre colisões entre drones e aviões.

Os resultados desta comissão serão publicados em julho e um encontro será organizado para discuti-los.

No ano passado, a agência anunciou que estava desenvolvendo uma nova regulamentação sobre o uso de drones, em uma tentativa de limitar o risco de colisão com aviões.

+ Consulado chinês nos EUA é fechado e provoca nova crise
+ As 10 picapes diesel mais econômicas do Brasil

Seria uma “combinação de medidas”, que incluiria a obrigação aos aviões de “operar na linha visual, voar abaixo dos 150 metros de altitude, estar equipados com identificações e funções de geolimitação e estar registrados”, indicou.

Sob estas mesmas regras, a pilotagem de drones perto de aeroportos também exigiria uma autorização especial.

Em um momento em que o uso privado de drones se intensifica, as autoridades querem evitar um acidente a todo custo.

O maior risco a que se expõe um avião é um eventual choque nos motores porque as baterias dos drones contêm lítio, um componente altamente inflamável.

No mês passado, um drone que voava a mais de dois mil metros de altitude se aproximou de um avião da Aer Lingus quando este chegava ao aeroporto Roissy-Charles de Gaulle, em Paris.

Uma agência britânica de segurança, Airprox Board, advertiu no mês passado que entre abril e outubro de 2015 houve 23 ocasiões em que esteve prestes a ocorrer uma colisão entre um drone e uma aeronave.

hmn/dlc/har/aoc/age/mvv

Veja também

+ Funcionário do Burger King é morto por causa de demora em pedido

+ Cozinheira desiste do Top Chef no 3º episódio e choca jurados

+ Governo estuda estender socorro até o fim de 2020

+ Bolsonaro veta indenização a profissionais de saúde incapacitados pela covid-19

+ Nascidos em maio recebem a 4ª parcela do auxílio na quarta-feira (05)

+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?