Ediçao Da Semana

Nº 2741 - 05/08/22 Leia mais

Ai, ai… Já sei. Pandemia, guerra, STF, urnas eletrônicas, Lula, PT, comunistas, ET de Varginha. A culpa é – e sempre será! – de terceiros, jamais do devoto da cloroquina que não trabalha – e quando tenta, só faz caca.

A gasolina acumula alta de 70% nos últimos 12 meses a depender do estado. O diesel, quase 60%. O gás de cozinha, nem sei, e tenho medo de procurar saber. Já a inflação dos alimentos ultrapassa com folga os 40%.

É assim no mundo todo? Bem, sim e não. Todos os países, sobretudo após a invasão da Ucrânia pela Rússia, apoiada pelo Bozo, passam por dificuldades econômicas, mas o Brasil está entre os três piores do G-20, ao lado de Argentina e Turquia.

O leitor amigo pode estar se perguntando: dava para ser diferente, menos pior? Claro que sim! Bastaria o amigão do Queiroz não fazer tanta besteira, não desestabilizar a democracia e não depreciar, com isso, o real.

Sim, porque boa parte da nossa inflação se deve à desvalorização da nossa moeda – também uma das três maiores. E o patriarca do clã das rachadinhas é o responsável direto por isso, com a pregação golpista e o estouro das contas públicas.

Houve um tempo em que o tomate puxava a inflação. Era ruim, mas nem tanto, afinal, tomate não é gênero de primeira necessidade. Agora, arroz, feijão, carne… leite? Será que o brasileiro vai ter que recorrer ao leite materno?

Claro que estou ironizando, ainda que seja uma piada extremamente inoportuna e sem graça. Apenas a faço para lembrar que grande parte da população já recorre a sopa de ossos e pé de galinha como alimentos.

Ontem, o ‘mito’ – mais uma vez! – não trabalhou, torrou milhares (ou milhões) de reais e brincou de passear de moto, em campanha eleitoral antecipada, o que é ilegal, ao lado de Fernado Collor em Alagoas.

Aliás, muito apropriado, pois foi Collor o presidente da hiperinflação, do confisco da poupança e dos planos cruzados suicidas, que destruíram de vez a economia do Brasil antes do Plano Real de Fernando Henrique Cardoso.

Então, ficamos assim: eu, você e dezenas de milhões de brasileiros comemos o pão que o diabo amassou, pagando com os olhos da cara – que Bolsonaro colocaria no fogo pelo amigão pastor – enquanto ele passeia pelo País, ataca a democracia e defende bandido.

E o leite a 10 pratas o litro? Bem, ele é Messias, mas não é vaca, pô. Essa é a espécie de um tipo muito peculiar de eleitor, hehe. Deus acima de tudo, tubaína acima de todos. Múúú.