Farol ISTOÉ

Dúvida cruel

Crédito: Alan Rodrigues

Se a Agência Nacional de Mineração ainda tiver qualquer dúvida sobre os riscos à vida humana oferecidos pelas barragens a montantes, é só os seus comandantes perguntarem a respeito delas às vítimas que conseguiram sobreviver aos rompimentos nas cidades de Brumadinho e Mariana. Muita gente morreu. o Rompimento em Brumadinho, por exemplo, deixou 248 mortos e 22 desaparecidos. Diante disso, o adiamento autorizado pela Agência Nacional de Mineração do prazo de extinção desse tipo de barragem chega a ser criminoso. Tinham de ser desativadas até 2021. Agora dilatou-se até 2027. Vai dar mais tempo, vai sim, de gente que mora em cidades próximas morrerem. Inacreditável que o prazo tenha ido para tão distante.