Ediçao Da Semana

Nº 2742 - 12/08/22 Leia mais

O americano Caeleb Dressel se sagrou campeão na final dos 50 metros borboleta, neste domingo em Budapeste, e assim conquistou o décimo quinto título mundial da sua carreira.

Dressel, de 25 anos, que defendia o título nesta categoria, venceu com o tempo de 22 segundos e 57 centésimos, subindo ao lugar mais alto do pódio.

O veterano brasileiro Nicholas Santos (42 anos) continuou a bater recordes de longevidade com um prata (22,78) e o bronze ficou com outro americano, Michael Andrew (22,79).

Em Budapeste-2022, Dressel conquistou seu segundo ouro em apenas dois dias de prova, depois de já ter sido coroado no sábado como integrante da equipe americana de revezamento que venceu os 4×100 metros livre.

O nadador da Flórida, grande favorito e cinco vezes medalhista de ouro olímpico no ano passado em Tóquio, também luta para ser coroado individualmente nos 100 metros borboleta, assim como nos 50 e 100 metros livre.

“Neste esporte, nada se conquista com antecedência”, lembrou Dressel. “Eu conhecia bem o meu plano de corrida”, disse ele, mantendo o foco depois do desânimo que admitiu ter sofrido após os Jogos de Tóquio do ano passado.

Nicholas Santos, por sua vez, deu ao Brasil e à América Latina sua segunda medalha na piscina da Duna Arena, um dia após o bronze de Guilherme Costa nos 400 metros livre.

É a quarta medalha neste evento para Nicholas Santos, que quebrou seu próprio recorde como o medalhista mais velho em uma competição mundial de natação em piscina grande. Todos os quatro foram nos 50 metros borboleta, sua prova de referência.

“Estou muito feliz. Tenho 42 anos, não é fácil se manter competitivo com esses adversários, principalmente contra o Dressel”, avaliou Nicholas Santos após o vice-campeonato.

Também foi vice-campeão mundial nessa distância em 2015 e 2017, enquanto na edição de 2019 ficou com o bronze.

O saldo é ainda melhor para o nadador paulista no Mundial de piscina curta, onde acumula onze medalhas, cinco delas de ouro.

dif/dr/aam